Membros Participantes

quarta-feira, maio 30, 2018

0

COBRA 148 GTL - ATUALIZAÇÕES E CORREÇÕES


Circula na internet a muitos anos uma documentação sobre o transceptor Cobra 148 GTL, que sem sombra de dúvidas é uma ótima fonte de informações. Diante disso, gostaria de acrescentar alguns detalhes, no intuito de fazer crescer a informação sobre o equipamento, e aproveitar o ensejo para corrigir alguns pequenos detalhes que foram notados em nossas experiências.
Gostaria de enfatizar que não se trata de uma crítica à tão cara e estimada publicação, e sim, de um acréscimo de nossas observações, que servem também como um a partir de, e que experimentadas, podem e devem ser refutadas, caso algum colega se sinta ofendido, ou, agraciado por tanto.
Foram efetuados testes a partir da documentação que foi elaborada e publicada pelo estimado Sr. Adinei Brochi (PY2ADN), ao qual sou muito grato por dividir conosco suas experiências e por sua amizade. É um sujeito muito prestativo (um abraço ao Fabinho).

Fica desta forma:
  • Na experiência sobre a publicação foram utilizados 6 transceptores, sendo:
 2 TAIWAN, 1 MALAYSIA, 1 CHICAGO, 1 CHINA e 1 PHILIPPINES.
_____________________________

No modo TX, a alteração NTC funciona muito bem nos modelos Malaysia, Chicago, Phillipines e Taiwan, o modelo atual com saída de microfone frontal deixou a desejar,  e essa foi a primeira observação notada, inclusive não indico a modificação para esse modelo - no máximo a expansão de canais ou a utilização de um microfone amplificado, ou, um pré-amplificador interno para melhorar a captação de áudio. Acredito que não havia esse modelo quando a documentação foi  elaborada e publicada.
Nenhuma das observações são aplicáveis ao modelo tipo exportação, Cobra 148 GTL INTL.
  • Sobre a substituição dos diodos schottky RX:



Os novos diodos schottky suprimem muito bem os "ruídos elétricos do transceptor", e o mais importante, não atenuam em nada a recepção. Isto é, se está escutando uma Estação com nível de sinal S3, vai continuar S3, mas com o ruído elétrico mais baixo. Logo, recepção mais limpa, mais suave e menos cansativa.


Entenda que os diodos novos não diminuem o nível de ruído, eles suprimem ruído elétrico, que é diferente. Se o seu equipamento está captando uma QRM de sinal 7, ela vai continuar S7, o que não vai acompanhar é o ruído causado por espúrios elétricos.



Leia sobre ruídos e espúrios na matéria publicada pelo estimado Professor Newton Braga clicando aqui.
A alteração com os novos schottky melhora muito a recepção, já a alteração com o transistor 2sc2999 não fez tanta diferença.
  • Sobre a substituição dos transistores de RX:
Na documentação, é sugerida a substituição do transistor 2sc1674 pelo transistor 2sc2999, só que mesmo simulando todas as situações possíveis, a diferença é praticamente imperceptível. 
"Leve em consideração uma possibilidade, a questão da qualidade dos componentes adquiridos/utilizados".


O "upgrade" sugerido em seguida é questionável, que seria inserir o transistor retirado acima, o 2sc945 e a colocação do 2sc1674 no lugar do detector de SSB. Repetindo, retira-se o 2sc945 e coloca-se o retirado na etapa anterior, o 2sc1674. Não precisa de muito para perceber que essa modificação apenas atenua o RX, não filtra, porque quando apenas filtra, não atenua. Essa alteração baixa o ruído e baixa/atenua a recepção em 5 dB, e 5dB é muita coisa!


No que essa postagem pode acrescentar?
  • Adendo:
O melhor transistor para o detector de SSB é o 2sc711, então note as simulações abaixo:
  • Na comparação do 2sc1674 com o 2sc711 ficou assim:
O transistor 2sc711 com sinal S10 - com injeção de 1KHz


O transistor 2sc1674 com sinal S5 com injeção de 1KHz

  • Uma observação importante, a comparação é plug and play, sem palitação, sem ajuste, apenas substituindo o componente. Ou seja, o transistor 2sc711 é disparado melhor para recepção, e não o 2sc1674.
Na documentação é sugerida a substituição do detector de SSB (TR19 ou Q19), 2sc945 pelo 2sc1674, contudo, a diferença não chegou a 0,25 de dB, e comparando o 2sc1674 com o 2sc711 a diferença foi de 5 dB, e em comparação com o 2sc945 a diferença foi de 0.40 dB.
Portanto, se quer dar um "UP" no RX, utilize o 2sc711.
A experiência apresentada não invalida a experiência da publicação mencionada, esta é, como disse, um apêndice ao contexto, e deve ser testada, enfatizo essa necessidade.
  • AGC rápido/lento.
Uma experiência dividida com o colega radioamador PU2TIB, Heitor Neto, foi o AGC rápido/lento.
Nos modelos Chicago, Philippines e Taiwan eu notei um ruído agudo no modo RX em contato com outras Estações ao desconectar o capacitor C23, o que não aconteceu com o modelo Malaysia. O ruído cessou (nos modelos citados) com poucos minutos de funcionamento. 
Ao desconectar o capacitor, parecia que o "espírito do Aquário RP90" havia baixado no Cobra 148 GTL 😂😂😂 a recepção ficou muito ruidosa. O contrário é percebido quando se eleva um pouco o valor do capacitor, a recepção fica mais aveludada, e com as modificações citadas acima, schottky + transistor e agora o capacitor (original 0,47 pf substitui para 1 pf ou superior - NÃO MUITO SUPERIOR), e temos um equipamento que merece uma caixa de som acústica de qualidade para RX no modo SSB.

Adendo extra do colega radioamador Heitor Neto - PU4TIB: quando se aumenta o valor do capacitor, o início do câmbio em RX é levemente suprimido. Portanto, se faz necessário uma chave de 3 posições para não ter prejuízos em contatos com Estações que chegam em nível de ruído.
xxx--xxx
Convido você a experimentar, ou solicitar seu técnico que experimente essas modificações em seu transceptor, e que possa vir aqui falar sobre suas impressões, isso é mais que importante.
Obrigado pela leitura, mais ainda pela participação.
Compartilhe!

PXJF - André Luiz Cordovil Possato
((•)) Ouça este post

Nenhum comentário:

Cadastre seu e-mail para receber novidades

Sem instrumentos, não adianta!

Sem instrumentos, não adianta!
clique na imagem

Postagem em destaque

Consertando e ajustando pastilhas de wattímetro Bird

"Para aqueles que acham que este instrumento é incorruptível", é bom saber que os wattímetros Bird usam elementos removíveis, cha...

→ TVi ↓

TVi é um dos problemas mais sérios que o radio-operador pode sofrer. Pensando nisso, aqui vai algumas dicas seguras sobre como evitar este problema.

1º Cabo: Tem gente que acha que é só soldar o fio no conector e está tudo certo. Ledo engano!

Antes de soldar o conector, certifique-se que a malha esteja totalmente prateada, brilhando. Caso não esteja, substitua o cabo, ele está oxidado. "É normal a ação do tempo".

2º Conector: Verifique a qualidade do conector no ato da compra, e caso o conector esteja a anos sendo utilizado (ou guardado), passe uma lixa fina por dentro no local onde encaixa a malha. Não deve haver nenhum tipo de sujeira ou sinal de oxidação.

3º Conector fêmea do rádio: Utilize uma chave de estria tamanho 19 e aperte a porca. Mal contato é um problema sério. Verifique a solda interna após o reaperto.

4º Não utilize antena tipo 5/8 caseira entre prédios e condomínios que estejam em locais mais altos que sua estação à distâncias menores de 10 metros. Lembre-se que a antena 5/8 irradia em ângulo reto, e a antena de tv do vizinho pode ser aquele famoso "bombrill".

Escolha sempre antena 5/8 industrial. Se for caseira utilize 1/4 de onda, pois seu lóbulo de irradiação aponta a ionosfera, ao invés do horizonte, como no caso da 5/8.

5º Não abra o ALC do equipamento - limitadores de áudio. O ALC libera espúrios. Ao abrir potência do equipamento, mantenha intacto o ALC, ou solicite que seja feito por um técnico que tenha posse de instrumentação, como analisador de espectro, e "que saiba usar". Da mesma forma que fazemos em nosso laboratório. Isso é imprescindível! Abrir ou aumentar potência não tem nada a ver com liberar ALC. Isso é para incompetentes e palitadores. Se abrir a potência do equipamento, lembre-se de deixar o ALC atuando.

6º Estacionária: Nunca se esqueça que estacionária baixa não tem nada a ver com ressonância. A antena pode estar com roe ótima em determinado local, mas não estar ressonando corretamente. Desta forma, não adianta ter rádio potente se o restante da Estação está aquém.

7º Identificar o "plano terra": Plano terra não tem nada a ver com antena plano terra. Você deve saber onde é o plano terra de sua Estação, e o mesmo não tem nada a ver com o solo. Descobrindo o plano terra, a partir dele você saberá qual é a altura ideal para sua antena. Respeitando esta regra, além do rendimento otimizado de sua Estação, jamais correrá riscos de TVi. Dúvidas?

Consulte-nos.

→ Dica de Segurança

A vantagem do Rádio na estrada, além da possibilidade de fazer grandes amigos, é saber o que está acontecendo lá na frente. Um possível deslizamento, bloqueio de pista, uma possível blitz falsa, assaltos, áreas perigosas, carros suspeitos e acidentes. Na verdade, o operador da Faixa do Cidadão precisa de muita malícia, porque em todo lugar haverá maldade e oportunismo. Já houve caso de amigo que quase foi morto em emboscada armada através de convites feitos na própria faixa. Pessoas que se passaram por radio-operadores o chamaram para tomar um café e o conhecer, e o mesmo foi, sem maldade nenhuma, mas estavam na verdade de olho em sua carga de remédios, relata João, Estação Cachorro Louco (Juiz de Fora MG). Portanto amigos, é possível sim fazer do rádio um ambiente saudável e seguro, basta denunciar quaisquer irregularidades e ficar atentos a desvios de conduta. Aproveite e faça sua parte, seja cordial, e JAMAIS se misture com radio-operadores que desrespeitam a faixa utilizado linguajar de baixo calão. Em caso de problemas, procure um posto da Polícia Rodoviária Estadual/Federal e denuncie.

Compartilhe!

→ WATTÍMETRO BIRD - SAIBA TUDO