Membros Participantes

terça-feira, novembro 13, 2012

26

COBRA ELETRONICS CORPORATION & BRASIL

A Empresa Cobra, pioneira no cenário radioamadorístico, se fez presente em 99% das Estações de rádio-operadores no Brasil desde seu lançamento, e isso foi a muito tempo. 
Hoje, com o advento da internet e dos meios de comunicação, diria feedback da globalização e da abertura do mercado socialista Chinês, inúmeras outras marcas surgiram no mercado apresentando novos recursos, novos padrões, mas o problema ainda existe, inclusive nos rádios Cobra, pois estes produtos se utilizam de mão de obra barata Chinesa, assim como seus componentes - chineses -, o que compromete a qualidade final dos equipamentos, que em tese, deveriam ser legitimamente norte-americanos.
Estranho é que os transceptores da linha Voyager também são fabricados na China e não cairam qualidade...

Para explicar melhor a situação, podemos comparar um Cobra 148 GTL fabricado em 1985 e  o que se tem no mercado em pleno 2012. A qualidade nem de perto é a mesma. "Se o mercado de eletrônicos Asiático é o mesmo, então por que a qualidade dos transceptores caiu tanto?"
Acreditando no mercado consumidor brasileiro, a COBRA ELETRONICS CORPORATION, representada legalmente pela empresa Steelbras no Brasil, está colhendo informações sobre a real necessidade dos radio-operadores "daqui", com intenção de ser novamente a "número um" em vendas no Brasil.

A empresa - Cobra - deverá rever seus conceitos de qualidade sob o prisma do consumidor brasileiro. Rever conceitos de valor final do produto, e de design, pois o consumidor "daqui", além de ter acesso internacional ao que há de melhor no mercado deste segmento, está acostumado a recursos que estes equipamentos - Cobra - não oferecem (por enquanto). 







Se alguém disser o nome Fernando Henrique Cardoso, a primeira coisa que nos vem a cabeça é a privatização de nossas ex-empresas estatais e os 49% de ações "a menos" da Petrobrás para  nosso governo, ou seja, estamos a um passo de perder o que há de mais forte em exploração de petróleo, mas... saindo da geopolítica e voltando ao assunto, se alguém diz "Cobra 148 GTL", logo vem a cabeça: "Tem que ser o antigo".




Investir em algo que já perdeu espaço eu não acho uma boa ideia,  então, por que não lançar um equipamento Cobra com a identidade do consumidor brasileiro?
Imaginem o "Cobra BR", com 80 canais AM/FM/LSB/USB, roger beep, eco ajustável, saída Mosfet (utilizando IRF520), 10W RMS AM e 10W RMS SSB e claro, tendo como opção para o usuário final aquele trimpot de fácil acesso para abertura de potência. Não esqueçam o dissipador de calor e o contador de frequência!

Não adianta ser hipócrita, 90% dos usuários da faixa do cidadão no Brasil não  vão trocar seu Voyager VR-alguma-coisa, aberto para 50W SSB RMS por um rádio com 10W, isso é fato!
Se a empresa deseja entrar no Brasil e ser a Nº1, vai ter que entrar de voadora, e vai ter que esculachar no visual, assim como na qualidade dos rádios, mesmo que o preço final seja equivalente ao que se tem na concorrência.
Já imaginaram um rádio com a cara do Cobra 29 LX, com SSB e os recursos mencionados acima?
O 1º é meu!
O que eu continuo sendo fã da Marca Cobra são os microfones especiais. Aliás, o próprio dono da Empresa nos Estados Unidos está trazendo um exemplar para minha pessoa, na Fenarcom, e prometo fazer um vídeo mostrando o potencial deste microfone.
Garanto que você vai querer o seu!






Agora, leitor, faça seu papel e nos diga:
Na sua opinião, como deveria ser o novo Cobra, ou Cobra BR? 
(Batizado por mim, utopicamente, claro!)
((•)) Ouça este post

26 comentários:

Leonardo Ramos disse...

Acredito que 2 grandes modelos de sucesso podem ser utilizados para a empresa desenhar o padrão de rádio que agrada brasileiros: Voyager VR 9000 MK II e Voyager VR 158 EGTL DX. São bons exemplos de rádios bonitos, potentes e que permitem modificações. Se a Cobra aliasse essas características a um produto de preço acessível, certamente voltaria a ser a dona do mercado brasileiro em pouco tempo.

Anônimo disse...

Sr Leonardo Ramos, sua opinião expressa a mais pura verdade sobre o que foi dito no post.
Estamos acostumados com um padrão de equipamento. Este padrão pode ser revisto.
Caso seja oferecido algo proporcional ou equivalente ao que se tem no mercado, gostaria do fundo do coração que utilizassem como plataforma o rádio Cobra 148 FGTL DX + (não serve outro, na minha opinião)

Arlindo, Estação Bolo Fofo - Rio de Janeiro

André Luiz disse...

Bom dia pessoal!

Bem, a opinião de todos é muito importante, e esta oportunidade, esta chance de ter a atenção do fabricante é algo especial.
Vamos ver a opinião de todos os amigos presentes aqui todos os dias.
73s

Marcos Gallo disse...

Excelente post. Muito criativo com tópicos de extrema utilidade a todos os amantes do radio amadorismo e PX do Brasil, quero aqui deixar meu abraços a todos e especialmente ao meu Grande Amigo, André, André excelente trabalho, continue assim meu amigo. Att Marcos Gallo.

Anônimo disse...

Leonardo Ramos, o rádio que você mencionou, o VR158EGTLDX é uma cópia do Cobra 148 fgtl dx+
Rapaz, se esse rádio fosse fabricado ou surgisse novamente no mercado... sonho de consumo

Andrioli Jr
Araçatuba

Anônimo disse...

Eu tenho curiosidade de como seria um rádio para o público brasileiro... nada a ver com os rádios cobra vendidos nos Estados Unidos.

Julimar estação capitão caverna
Petrópolis RJ

Anônimo disse...

ACREDITA MESMO QUE VÃO LER ESTES POSTS?
NÃO ESTOU DESFAZENDO DA PÁGINA, NEM DAS PESSOAS, NEM DA MATÉRIA, MAS ACHO QUE A COBRA NÃO ESTÁ NEM AÍ PARA O QUE O PÚBLICO BRASILEIRO PENSA

André Luiz disse...

Se a Cobra quer entrar e ganhar espaço no mercado brasiliro, deve prestar a atenção "em tudo".

Joao Henrique disse...

o problema nisso tudo chamA-SE anatel

q em sua legislação sobre 11 metros diz uma coisa e não homologação do mesmo produto diz outra então não creio que seja que a gigante cobra entre em nosso mercado com equipamentos que se adequem a ele primeiro o legislador tem que cumprir o que escreve

André Luiz disse...

No Brasil existem dois tipos de comércio, um é o comércio informal, os camelôs e vendedores de Mercado Livre, que é um trabalho amplamente difundido e bem forte, o outro é o comércio formal, também muito explorado neste meio de comunicação.
Diferença do material não há, a diferença é preço, pois é tudo a mesma coisa. A Voyager domina o mercado brasileiro a décadas.
Se a Empresa Cobra lança um produto direcionado ao consumidor brasileiro, tem que estar ciente de que vai encontrar inúmeras barreiras, e uma delas eu diria que é a concorrência, pois os produtos hoje comercializados no Brasil são muito bons, e oferecem uma gama especial de vantagens aos compradores.
Os rádios, como a exemplo o Voyager VR158 EGTL DX, abrangem muito bem desde a faixa de amador, até a faixa do cidadão. Acredito que para um público com devido licenciamento, um rádio deste tipo poderia sim ser homologado, mas seria a homologação segundo a outorga da licença do radio-operador.
O radioamador poderia ter direito de uso deste tipo de transceptor com homologação, desde que ele, radio-operador, estivesse devidamente licenciado em ambas as modalidades, "faixa do cidadão e amador".
Alguma empresa já se preocupou em homologar algo para este público alvo?
Não, nunca!
Em ambos os casos, a potência poderia ser QRP, mas como o licenciamento de amador abrange uma potência que varia - de acordo com a outorga da estação - de até 100w à classe C e até 1000 watts classes B e A, seria o caso de a Anatel rever esta questão de potência, liberando para a faixa do cidadão um pouco mais de watts, diria 30w RMS SSB.
Acho que tudo e todo tipo de proposta é válida, e se fosse possível dar uma pequena atenção a esta modalidade, e apresentando aos orgãos competentes um bom planejamento, este up na potência dos transceptores também extinguiria o uso de amplificadores lineares nas estações.

Anônimo disse...

80 canais AM/FM/SSB, bip, frequencímetro e queixo quebrado de fábrica seriam bem vindos.

Nestor
Feira de Santana BAHIA

Anônimo disse...

gostei do nome, cobra br

Tem que aliar o bom funcionamento a boa aparência, e ter recursos iguais aos rádios que temos disponíveis no mercado atual.

Carlos Augusto
Blumenau SC

Anônimo disse...

adoraria encontrar para comprar um cobra 148 fgtl dx+

Robson Juiz de Fora

Anônimo disse...

a stelbras tem acesso aos cobra dos estados unidos mesmo?
será que a cobra tem antena?

Lekim
Paraiba do Sul RJ

Anônimo disse...

Os mais conhecidos e sapientes radio-operadores da faixa do cidadão tem o poder de formar opiniões a respeito de posturas, equipamentos, e até mesmo na forma de operá-los. Seus inúmeros seguidores se norteiam através deste tipo de site, e esta ferramenta de conhecimento coletivo é algo grandioso. Agradeço!
Gostaria de aquirir um exemplar Cobra 148 FGTL DX+ (exatamente este modelo), e a Steelbras poderia vender este rádio e homologá-lo nos 10 metros para nós, radioamadores que operamos QRP.
Para os 11 metros, o Cobra 29 LX 80 canais com SSB e um pouco mais de potência seria ótimo.
Marcos Soutto Maior
Brasilia DF

Anônimo disse...

Manolo, este cara ofende a todos os brasileiros na frequencia 27455 Mhz USB, entre neste perfil e veja todas as informações deste cidadão. Endereço completo, indicativo e telefone.

Criamos este perfil para que todos possam conhecer todas as informações deste cidadão, perfil no Facebook: http://www.facebook.com/manolo.argentina

Segue o video com ele brincando na frequencia:


http://www.youtube.com/watch?v=HY-MGhCDM30&feature=plcp

José Luiz Bet disse...

Fico imaginando o meu CCE SSB8000 com medidor de estacionária, queixo quebrado, ganho de mike e 80 canais no dígito, frequencímetro... Ficaria "o bicho". Não gosto de eco, já é difícil escutar em meio à qrm, imagina quando a pessoa está transmitiondo com eco. Fica horrível.

Mas é como o André disse, se a Cobra quiser abocanhar o mercado brasileiro, terá que ouvir os operadores dos 11 metros. Temos nossas necessidades com relação ao tipo de equipamento e seus recursos. Não adianta nos empurrar qualquer coisa, vão dar com os burros na água.

André Luiz disse...

Poxa, o cara me confunde até hoje com o Alemão da Paraíba.
Oh lesado, sou o Alemão de Juiz de Fora, deixa de ser tapado!
PX4G1578

Este é meu perfil:
http://www.facebook.com/profile.php?id=736555712

Larga de ser infantil rapaz!

Anônimo disse...

O alemao deste blog fez serviço no meu rádio. Esse alemao aqui do blog não é o alemao da paraiba, é o alemao de juiz de fora meninas gerais, meu amigo.

gostaria de deixar meus sinceros agracimentos ao alemao por proporcionar um ecelente serviço a comunidade de radioamadoristas e gostaria de dizer que em breve estarei enviando outro radio

se a cobra fizer um radio com a cara do brasileiro vai ter tudo de bom

manoel da silva praia do peró rio de janeiro

Anônimo disse...

Olá amigo Luiz!
Creio que a Cobra terá que lançar algo no mínimo parecido com um vr 158 ou um vr 9000, senão não adianta nem se candidatar na disputa por um lugar ao sol.
Abraço.
Egon
PX 5 B 3816

Anônimo disse...

QUERO SABER QUAL É A DO MICROFONE COBRA QUE VOCE MENCIONOU NO POST.
SEMPRE TIVE VONTADE DE ADQUIRIR UM MICROFONE DE QUALIDADE. SE VOCE ME GARANTIR QUE É BOM, EU COMPRO.

ADAILTON
SANTOS SP

Anônimo disse...

nao entendi o palestrante da Cobra na Fenarcom.
Será que o mesmo estaria a apresentar novas "opções da empresa" para a faixa do cidadão para radioamadores?
ora bolas, o público não é este!
o público somos nós!

Pablo Ventura
Indaiatuba SP

Anônimo disse...

Olá andrè !!!

A cara do cobra 148 Br ( stellbras ) :

+ _ 10w em Am , + - 25 SSB Dissipador para os IRF 520 , os 80 canais homologados.
Internamente regulagem para (trimpot) power AM , SSB E AUDIO.
Roger beep.
Frequencímetro opcional . ( PARA UN CUSTO MENOR ).
REGULAGEM NO PAINEL COM VARIAÇÃO DE POTENCIA DE RF .
E PRINCIPALMENTE UMA REGULAGEM DE FÁBRICA PARA O BRASIL , POIS ESTE TEM UM TAMANHO CONTINENTAL, EM MIUDOS TROPICALIZADO !!!
COMPONENTES DE QUALIDADE !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

73S ; MANOEL SARTORI ...

Anônimo disse...

essa nova linha de Rádios Cobra que vem com a opção de canal do tempo, para o Brasil, é completamente inútil.
Poderiam disponibilizar uma forma de atualizarmos as frequências, de forma a corujar nossa repetidora de VHF.
Seria algo interessantíssimo.

Claudio Vaz
Rio de Janeiro

claudiosteve disse...

SRs;achei muito interessante esta matéria e gostaria de dar meu testemunho,se me permitem.sou operador da faixa cidadão e radioamador desde 1984 tive a oportunidade de operar ,ou pelo menos testar pelo menos 90% dos rádios que foram lançado de lá para cá,e não quero aqui causar nenhuma polêmica pois radio é igual mulher,cada um tem seus defeitos e qualidades.tenho uma forte tendência a equipamentos com mais recusos do que potência e por essas e outras que como operador das duas faixas,é que na minha opinião,os dois melhores rádios para 10/11 mt que encontrei ate hoje foram (por favor ,não estou dizendo que estou certo) VR158EGTL,ALAN9001 e o mais novo e polêmico porque precisa ter paciência para domina-lo ,e embóra nao tenha muita potência,mas por outro lado tem recursos fantasticos em se tratando de rádio 10/11 netros ,o hannover br9000,que na minha modesta opinião ,para ser um rádio perfeito para essas duas faixas,era só vir com VU analôgico,saída de audio do antigo cobra 148 e manual mais decente.amigos ! acreditem,resolvi comprar um desse para testar e ,depois de muita paciência para aprender a operar o bicho,eu sou obrigado a dar a mão a palmatória,já estou com ele a um ano e após trocar o ptt do mesmo pelo do cobra ultra IV só tenho recebido elogios e por diversas vezes me perguntaram se estava operando com multibanda.não estou aqui com isso fazendo propaganda do equipamento só porque tenho um,pois sou mais um dos milhoes que gostaria que houvessem mais opçôes de equipamentos de qualidade no nosso mercado.saudaçôes a todos e parabens.ass: pu9njv@facebook.cm.br

Unknown disse...

Alguem sabe me informar uma assistencia que faca manutencao do radio cobra 29 lx bt o meu queimou o visor aqui na regiao de americana nao acho quem mexe
Email renaldir@gmail.com

Cadastre seu e-mail para receber novidades

Sem instrumentos, não adianta!

Sem instrumentos, não adianta!
clique na imagem

Postagem em destaque

Consertando e ajustando pastilhas de wattímetro Bird

"Para aqueles que acham que este instrumento é incorruptível", é bom saber que os wattímetros Bird usam elementos removíveis, cha...

→ TVi ↓

TVi é um dos problemas mais sérios que o radio-operador pode sofrer. Pensando nisso, aqui vai algumas dicas seguras sobre como evitar este problema.

1º Cabo: Tem gente que acha que é só soldar o fio no conector e está tudo certo. Ledo engano!

Antes de soldar o conector, certifique-se que a malha esteja totalmente prateada, brilhando. Caso não esteja, substitua o cabo, ele está oxidado. "É a ação do tempo".

2º Conector: Verifique a qualidade do conector no ato da compra, e caso seu conector esteja a anos sendo utilizado (ou guardado), passe uma lixa fina por dentro no local onde encaixa a malha. Não deve haver nenhum tipo de sujeira ou sinal de oxidação.

3º Conector fêmea do rádio: Utilize uma chave de estria tamanho 19 e aperte a porca. Mal contato é um problema sério. Verifique a solda interna após o reaperto.

4º Não utilize antena tipo 5/8 caseira entre prédios e condomínios que estejam em locais mais altos que sua estação à distâncias menores de 10 metros. Lembre-se que a antena 5/8 irradia em ângulo reto, e a antena de tv do vizinho pode ser aquele famoso "bombrill".

Escolha sempre antena 5/8 industrial. Se for caseira utilize 1/4 de onda, pois seu lóbulo de irradiação aponta a ionosfera, ao invés do horizonte, como no caso da 5/8.

5º Não abra o ALC do equipamento. O ALC libera espúrios. Ao abrir potência do equipamento mantenha a proteção ALC. Da mesma forma que fazemos em nosso laboratório. Isso é imprescindível. Abrir ou aumentar potência não tem nada a ver com liberar ALC. Isso é para incompetentes e palitadores. Se abrir a potência do equipamento lembre-se de deixar o ALC atuando.

6º Estacionária: Nunca se esqueça que estacionária baixa não tem nada a ver com ressonância. A antena pode estar com roe ótima em determinado local, mas ressonar lá na casa do...

7º Identificar o "plano terra": Plano terra não tem nada a ver com antena plano terra. Você deve saber onde é o plano terra de sua estação, e o mesmo não tem nada a ver com o solo. Descobrindo o plano terra, a partir dele você saberá qual é a altura ideal para sua antena. Respeitando esta regra, além do rendimento otimizado de sua Estação, jamais correrá riscos de TVi. Dúvidas?

Consulte-nos.

→ Power RF Aprenda ↓

Como saber a potência correta sem ser enganado?

Primeiro, pesquise sobre o DATASHEET do transistor do seu rádio, leia a respeito, verifique a potência máxima levando em consideração a voltagem do transistor. A base de cálculo é a fonte de alimentação, então o parâmetro é 13,8 volts.

Se apresenta 8A de consumo em amperímetro digital "com congelamento de pico máximo", basta multiplicar 13,8v por 8A e o resultado dividir por 2.66, eis a potência correta, que são 41,5 watts de envelope - PEP. Em miúdos, no assovio tem que dar 41,5 watts, e na modulação 60% por conta do péssimo modulador original, então restam quase 25 watts de modulação real. Viu porque não adianta palitar? Girar ou abrir posição de trimpot apenas gera mais calor, e calor é igual a perda. Quanto mais se aquece o transistor, mais fecha a entrada de gate quando aquecido, e por isso você precisa alterar alguns componentes na saída, porque eles impedem o rendimento da potência final (isso só serve para rádios PX).

Um rádio na atualidade - 2015 - original apresenta 20w PEP SSB em média, então você tem 13,8v X 4A de consumo, que é = 55.2w Dividido por 2.66 = 20,75w efetivos. Ou seja, fonte de 5A para esse rádio original toca com folga.

Rádios com upgrade apresentam consumo entre 12A e 16A "em média" para mais, então você tem 13,8v X 12A = 165,6W em calor (em perda) divididos por 2,66 = +- 60w que representa o % aproveitável, e em média máxima "para 13,8v". Com voltagens DC to DC na alimentação, essa potência pode ultrapassar os 100 watts aproveitáveis, mas não há área de dissipação, então não recomendo. A bem da verdade, eu literalmente pago para ver alguém conseguir reproduzir o sistema que patenteamos, DC to DC.

Se utilizar bateria de 12v, o consumo em amperagem é maior. Quanto maior a voltagem, menor consumo em amperagem, quanto menor voltagem, maior consumo em amperagem.

By: Lei de Ohm.

Medições fora deste parâmetro são equivocadas.

Fale comigo

→ Dica de Segurança

A vantagem do Rádio na estrada, além da possibilidade de fazer grandes amigos, é saber o que está acontecendo lá na frente. Um possível deslizamento, bloqueio de pista, uma possível blitz falsa, assaltos, áreas perigosas, carros suspeitos e acidentes. Na verdade, o operador da Faixa do Cidadão precisa de muita malícia, porque em todo lugar haverá maldade e oportunismo. Já houve caso de amigo que quase foi morto em emboscada armada através de convites feitos na própria faixa. Pessoas que se passaram por radio-operadsores o chamaram para tomar um café e o mesmo foi, sem maldade nenhuma, mas estavam na verdade de olho em sua carga de remédios, relata João, Estação Cachorro Louco (Juiz de Fora MG). Portanto amigos, é possível sim fazer do rádio um ambiente saudável e seguro, basta denunciar quaisquer irregularidades e ficar atentos a desvios de conduta. Aproveite e faça sua parte, seja cordeal, e não se misture com radio-operadores que desrespeitam a faixa utilizado linguajar de baixo calão. Em caso de problemas, procure um posto da Polícia Rodoviária Estadual/Federal.

Oferecimento:

PXJF YOUTUBEadio.com.br

→ WATTÍMETRO BIRD - SAIBA TUDO