Membros Participantes

segunda-feira, outubro 01, 2012

0

Falando francamente

Falar de rádio Px de qualidade hoje em dia é tarefa difícil. Temos muitos modelos que variam desde os Magnum S9 - RF LIMITED -, até os Cobra 29 que acendem o painel.
Claro, não estamos tratando de rádios homologados e nem falando mal de marcas distintas, estamos falando de características diferenciadas, rádios bons e funcionais, ou as vezes não tão funcionais, depende do ponto de vista. A homologação a gente se preocupa e fala depois, em outro post.

Nem tudo se resume simplesmente a potência. Se você comparar um rádio novo com um antigo, vai ver que são bem parecidos em estrutura, mas completamente diferentes em qualidade final.
Os novos modelos de rádios com placas novas (diferentes das costumeiras placas tipo Allan 8001) possuem peculiaridades distintas, a maioria foge frequência e apresentam poblemas no VCO difíceis de resolver, além de consumir amperagem demais com potência desproporcional.
Os rádios antigos consomem menos, não fogem frequência, não apresentam defeitos no VCO, mas o lado negativo é que tansmitem com menos pressão, possuem bem menos canais e dificilmente você encontra peças para reposição. É uma novela.
Então temos uma "balança consciencial" que pesa o que pode ser melhor; um rádio antigo que "por sorte pode ser bom e durável", mas que se der defeito tem grande probabilidade de ficar encostado por falta de componentes ou um novo, correndo risco de dar problema por conta da péssima fabricação.
Eu compreendo a rejeição que o rádio-operador tem para com o produto "novo". Nós sabemos por A+B, por experiência, o que funciona, e isso é insubstituível.
Tem rádio caro no mercado apresentando problema, e se for VCO companheiro, é um problemão!
VCO é o que estabiliza e determina seu rádio na frequência TX/RX.
Tem que trocar tudo nesta etapa do equipamento, e a fábrica, lá na China, não disponibiliza peça, e seu rádio caro acaba virando sucata. Isso vale para qualquer um, seja Hannover, Cobra, Voyager, Megastar, Magnum, Summerkump...

Pode correr multímetro no equipamento que você não vai achar o problema, e quando achar, vai ver que é uma pulga de olho azul com miopia e vesga.
Temos que ter consciência que os rádios novos são bons para DX, são potentes, possuem muitos canais, mas tem grande probabilidade de futuramente dar dor de cabeça caso haja mal uso.
Se você quer um rádio bom de verdade, tem que contar com o quesito "sorte", e investir muito em outros quesitos como cabos de qualidade, conectores de qualidade, antenas de qualidade. A estacionária tem que estar 1.1 mesmo, senão explode os transistores de saída. Eles suportam determinada dose de calor, mas estacionária alta e bias desajustado NÃO. Isso queima o rádio muito rápido.
Tem um acoplador de antenas baratinho no mercado, acho que custa na faixa dos 30 reais. Este acoplador deveria ser peça fundamental na estação de quem possui rádios com mais de 40 canais, pois protege seu rádio contra ROE alta, impedindo a queima do transceptor.
Você encontra este acoplador na Gallo Shop, é barato, funcional, e eu indico (e uso).
Se a propagação estiver completamente escancarada você pode aproveitar para tirar o seu velho Cobra 148 GTL do armário, mas se estiver fraca, só um rádio novo com Mosfets na saída é capaz de resolver seu problema. Aí entra a questão de potência, o que expliquei acima.
Nos anos 80 não existia tanto recurso e nem rádios com potências altas, existia botina, e o pessoal usava e abusava dos acopladores. Mas usar botina em casa era inviável por conta de TVi, então o pessoal investia em antenas de qualidade, direcionais de 3, 4 ,5 elementos, e com 5 ou 6 watts cobriam todo o planeta, bastava dominar alguns idiomas.

Dos rádios novos todos sabem que puxo sardinha para o 158, ele sempre esteve na frente em diversos pontos, e não é simpatia gratuita. Este rádio é um projeto original Cobra, e sabemos que a Cobra tem excelência em transceptores da Faixa do Cidadão. É muito estável se comparado a um VR9000MK2, que corre de frequência enquanto você modula (Toda linha VR - 94,95 e 9000); ele só perde para o Hannover em estabilidade. Aliás, todos estes rádios, sendo novos ou antigos perdem para o Hannover em estabilidade.
Na minha opinião, este é "único" ponto positivo para o Hannover, pois se você colocar na ponta do lápis, estará pagando muito caro em um equipamento de baixa potência - Hannover e similares - sendo que este produto tem a mesma potência de um Cobra 148 em SSB, e sabemos que o prinipal é  SSB, então, 40 ou 50 watts são sempre bem vindos, ou que fiquemos no antigo Cobra 148 GTL, ao menos estamos pagando barato em algo que oferece pouco.
Caso esteja pensando em comprar um rádio novo, lembre-se que "original não presta". É necessário um upgrade para melhorar a qualidade do transceptor.
Aliás, longe de mim querer vender meu peixe, basta adquirir um rádio novo e usá-lo; no final, vai me dar razão.
73s
((•)) Ouça este post

Nenhum comentário:

Cadastre seu e-mail para receber novidades

Sem instrumentos, não adianta!

Sem instrumentos, não adianta!
clique na imagem

Postagem em destaque

Consertando e ajustando pastilhas de wattímetro Bird

"Para aqueles que acham que este instrumento é incorruptível", é bom saber que os wattímetros Bird usam elementos removíveis, cha...

→ TVi ↓

TVi é um dos problemas mais sérios que o radio-operador pode sofrer. Pensando nisso, aqui vai algumas dicas seguras sobre como evitar este problema.

1º Cabo: Tem gente que acha que é só soldar o fio no conector e está tudo certo. Ledo engano!

Antes de soldar o conector, certifique-se que a malha esteja totalmente prateada, brilhando. Caso não esteja, substitua o cabo, ele está oxidado. "É normal a ação do tempo".

2º Conector: Verifique a qualidade do conector no ato da compra, e caso o conector esteja a anos sendo utilizado (ou guardado), passe uma lixa fina por dentro no local onde encaixa a malha. Não deve haver nenhum tipo de sujeira ou sinal de oxidação.

3º Conector fêmea do rádio: Utilize uma chave de estria tamanho 19 e aperte a porca. Mal contato é um problema sério. Verifique a solda interna após o reaperto.

4º Não utilize antena tipo 5/8 caseira entre prédios e condomínios que estejam em locais mais altos que sua estação à distâncias menores de 10 metros. Lembre-se que a antena 5/8 irradia em ângulo reto, e a antena de tv do vizinho pode ser aquele famoso "bombrill".

Escolha sempre antena 5/8 industrial. Se for caseira utilize 1/4 de onda, pois seu lóbulo de irradiação aponta a ionosfera, ao invés do horizonte, como no caso da 5/8.

5º Não abra o ALC do equipamento - limitadores de áudio. O ALC libera espúrios. Ao abrir potência do equipamento, mantenha intacto o ALC, ou solicite que seja feito por um técnico que tenha posse de instrumentação, como analisador de espectro, e "que saiba usar". Da mesma forma que fazemos em nosso laboratório. Isso é imprescindível! Abrir ou aumentar potência não tem nada a ver com liberar ALC. Isso é para incompetentes e palitadores. Se abrir a potência do equipamento, lembre-se de deixar o ALC atuando.

6º Estacionária: Nunca se esqueça que estacionária baixa não tem nada a ver com ressonância. A antena pode estar com roe ótima em determinado local, mas não estar ressonando corretamente. Desta forma, não adianta ter rádio potente se o restante da Estação está aquém.

7º Identificar o "plano terra": Plano terra não tem nada a ver com antena plano terra. Você deve saber onde é o plano terra de sua Estação, e o mesmo não tem nada a ver com o solo. Descobrindo o plano terra, a partir dele você saberá qual é a altura ideal para sua antena. Respeitando esta regra, além do rendimento otimizado de sua Estação, jamais correrá riscos de TVi. Dúvidas?

Consulte-nos.

→ Dica de Segurança

A vantagem do Rádio na estrada, além da possibilidade de fazer grandes amigos, é saber o que está acontecendo lá na frente. Um possível deslizamento, bloqueio de pista, uma possível blitz falsa, assaltos, áreas perigosas, carros suspeitos e acidentes. Na verdade, o operador da Faixa do Cidadão precisa de muita malícia, porque em todo lugar haverá maldade e oportunismo. Já houve caso de amigo que quase foi morto em emboscada armada através de convites feitos na própria faixa. Pessoas que se passaram por radio-operadores o chamaram para tomar um café e o conhecer, e o mesmo foi, sem maldade nenhuma, mas estavam na verdade de olho em sua carga de remédios, relata João, Estação Cachorro Louco (Juiz de Fora MG). Portanto amigos, é possível sim fazer do rádio um ambiente saudável e seguro, basta denunciar quaisquer irregularidades e ficar atentos a desvios de conduta. Aproveite e faça sua parte, seja cordial, e JAMAIS se misture com radio-operadores que desrespeitam a faixa utilizado linguajar de baixo calão. Em caso de problemas, procure um posto da Polícia Rodoviária Estadual/Federal e denuncie.

Compartilhe!

→ WATTÍMETRO BIRD - SAIBA TUDO