Membros Participantes

domingo, abril 26, 2015

6

Consertando e ajustando pastilhas de wattímetro Bird

"Para aqueles que acham que este instrumento é incorruptível", é bom saber que os wattímetros Bird usam elementos removíveis, chamamos de "pastilhas", que servem tanto para definir a faixa frequência quanto a potência do medidor, e estas, são "ajustáveis, corruptíveis", como a grande maioria dos instrumentos.
Os produtos Bird foram elaborados para uso militar, eles "sobram" (sobrar no sentido de ser melhor que o esperado) em diversos quesitos, como durabilidade, resistência. São produtos de extrema qualidade nesse sentido, por outro lado, estamos em 2017, e o projeto é muito antigo e arcaico, goste você ou não.

Radioamadores sintonizam transmissores e amplificadores lineares com wattímetros, e medem a energia da frequência de saída no cabo coaxial que leva à antena, ou mesmo na carga fantasma. "O wattímetro é ajustado na rolha/pastilha" para atender uma faixa de frequência particular e é escolhido de acordo com a potência do transmissor; é um elemento "plugável" e substituível que é instalado facilmente no painel frontal da unidade. Uma seleção de pastilhas que cobrem várias faixas de frequência e saídas de potência representam um investimento substancial em relação ao custo do próprio instrumento, e embora nem todos os defeitos em uma pastilha possam ser consertados pelo usuário, a opção de reparar certos tipos de falhas, como um diodo ou resistores queimados pode lhe fazer economizar um bom dinheiro em vez de fazer uma reposição. O lado feio "da coisa" é quando um técnico corrompe uma unidade com a finalidade de fazer com que transceptores aparentem ter mais potência do que têm.
Em caso de dúvidas, compare a potência de seu transceptor utilizando um Monitor de Serviço; não é uma discussão sobre opinião, nós confrontamos as informações a partir de paradigmas epistemológicos, e não sobre o que fulano ou beltrano acha. O que o outro acha é problema dele, eu leio "instrumentos."

Instruções de como reparar a pastilha do Bird 43

1
Remova o rótulo de metal fixado na parte da frente da pastilha para revelar a cabeça do parafuso. Se dois rebites protegendo o rótulo estiverem visíveis, eles podem ser erguidos para fora com uma chave de fenda pequena. Se o rótulo estiver colado na pastilha, remova-o invertendo a pastilha e mergulhando somente o rótulo em um solvente comercial para remover o adesivo e rótulo. De maneira alternativa, o rótulo de metal pode ser aterrado usando um serra rotatória manual com um rebolo abrasivo.

2
Localize o furo de acesso de 0,125 cm do ajuste do parafuso do trimpot quando o rótulo de metal for removido. Plugue a pastilha no vatímetro Bird e tente ajustar o trimpot para uma leitura apropriada do multímetro. Se os resultados forem instáveis, a substituição do trimpot pode ser necessária, removendo a solda do trimpot original e instalando uma nova unidade para valores de ohm iguais. Se um ajuste simples do trimpot parece corrigir o problema e produzir resultados estáveis, remonte a unidade.

3
Desparafuse a capa grande e remova a placa de cobertura. Dobre os cabos do trimpot para removê-lo ou dessoldá-lo. Remova a peça da fita isolante abaixo do trimpot.

4
Remova os dois parafusos pequenos debaixo da fita isolante que protege a capa de isolante de plástico preta.

5
Remova a capa isolante de plástico preta que monta o modulo eletrônico dentro do corpo da pastilha.

6
Procure quaisquer fios soltos ou componentes quebrados que possam causar curtos-circuitos nas pastilhas eletrônicas.

7
Verifique o diodo usando um ohmímetro. Substitua por um componente idêntico, caso necessário. Examine o resistor simples instalado e o capacitor para certificar-se de que não estão queimados e, caso necessário, substitua-os. Reaqueça as varias ligações soldadas para consertar quaisquer conexões intermitentes (soldas frias).

8
Remonte a pastilha na ordem reversa de desmontagem. Observe o alinhamento correto do pino de orientação quando substituir os módulos eletrônicos - ele deve ser instalado dentro do corpo da pastilha em uma orientação particular. Certifique-se de substituir o pedaço de fita isolante debaixo dos cabos do trimpot. Não recoloque o rótulo de metal na cabeça da pastilha até o teste ter sido completado.

9
Teste a pastilha no vatímetro e tente calibrá-lo girando o parafuso de ajuste do trimpot. Se os resultados forem satisfatórios, instale o rótulo de metal e encaixe os dois rebites no lugar ou cole outra vez o rótulo se assim estava.

e você achando que ele era o melhor

10
Compre uma nova pastilha caso a que tenha sido consertada não possa ser calibrada, ou estiver instável.

Escrito por Gus Stephens

http://www.repeater-builder.com/projects/bird-element-tour/bird-element-tour.html

(Adendo meu: Desconheço forma de corromper o wattímetro LP-100A, e sendo digital, top de linha, reconheço-o como o melhor que há no mercado, além de ser mais que o dobro do preço de um Bird.)
((•)) Ouça este post

6 comentários:

Eduardo Pinetti disse...

O Bird 43 é famoso por ter sido muito usado pelas Forças Armadas americanas nos períodos das 2 últimas guerras como material de campo devido à sua robustez, mas fora o saudosismo está longe de ser o melhor. A própria Bird Rf tem produtos melhores e mais atualizados. Sem dúvida o LP100 e o magnífico LP500 são muito melhores e precisos do que o saudoso Bird "capelinha".

André Luiz disse...

Nunca concordei com o Bird ser "o melhor", sendo que o ajuste desse wattímetro "de fábrica" se dá segundo a lógica matemática do consumo, lógica essa que já caiu por terra a anos. Na atualidade, com os novos transistores, essa matemática cai por terra de cabeça, porque esses novos transistores (que não foram desenvolvidos para PX mas são aproveitados nos rádios) consomem bem menos e entregam potências muito elevadas com menos da metade do consumo.

Eduardo Pinetti disse...

Pra melhorar o Bird tem que instalar o kit Peak que usa duas baterias de 9V e acrescenta 178 dolares ao preço do wattimetro que já custa quase 350 dólares com 1 pastilha. Não tem lógica, compra um LP100 que é o até mais barato e melhor.

André Luiz disse...

Melhora sim, mas ele continua lento nas medidas AVG. Prefiro o MFJ ou DOSY para "medidas burras". O MFJ tem leitura Hold, isso ajuda pacas, porque permite saber a poência do equipamento de acordo com a corrente de saída e a correção do mesmo

PY2255 SWL disse...

Amigo eu tenho dois Birds,quando conecto na saida do meu FT897e configura asaida 20w aí eu falo no microfone e me aparece 16 0u17 wt esta correto?
73''

PU2OLT

André Luiz disse...

desculpe, assim não da pra saber.

Sem instrumentos, não adianta!

Sem instrumentos, não adianta!
clique na imagem

Postagem em destaque

Consertando e ajustando pastilhas de wattímetro Bird

"Para aqueles que acham que este instrumento é incorruptível", é bom saber que os wattímetros Bird usam elementos removíveis, cha...

→ TVi ↓

TVi é um dos problemas mais sérios que o radio-operador pode sofrer. Pensando nisso, aqui apresento algumas dicas seguras sobre como evitar este problema.

1º Cabo: Tem gente que acha que é só soldar o fio no conector e está tudo certo. Ledo engano!

Antes de soldar o conector, certifique-se que a malha esteja totalmente prateada, brilhando. Caso não esteja, substitua o cabo, ele está oxidado. "É normal a ação do tempo".

2º Conector: Verifique a qualidade do conector no ato da compra, e caso o conector esteja a anos sendo utilizado (ou guardado), passe uma lixa fina por dentro no local onde encaixa a malha. Não deve haver nenhum tipo de sujeira ou sinal de oxidação.

3º Conector fêmea do rádio: Utilize uma chave de estria tamanho 19 e aperte a porca. Mal contato é um problema sério. Verifique a solda interna após o reaperto.

4º Não utilize antena tipo 5/8 caseira entre prédios e condomínios que estejam em locais mais altos que sua estação à distâncias menores de 10 metros. Lembre-se que a antena 5/8 irradia em ângulo reto, e a antena de tv do vizinho pode ser aquele famoso "bombrill".

Escolha sempre antena 5/8 industrial. Se for caseira utilize 1/4 de onda, pois seu lóbulo de irradiação aponta a ionosfera, ao invés do horizonte, como no caso da 5/8.

5º Não abra o ALC do equipamento - limitadores de áudio. O ALC libera espúrios. Ao abrir potência do equipamento, mantenha intacto o ALC, ou solicite que seja feito por um técnico que tenha posse de instrumentação, como analisador de espectro, e "que saiba usar". Da mesma forma que fazemos em nosso laboratório. Isso é imprescindível! Abrir ou aumentar potência não tem nada a ver com liberar ALC. Isso é para incompetentes e palitadores. Se abrir a potência do equipamento, lembre-se de deixar o ALC atuando.

6º Estacionária: Nunca se esqueça que estacionária baixa não tem nada a ver com ressonância. A antena pode estar com roe ótima em determinado local, mas não estar ressonando corretamente. Desta forma, não adianta ter rádio potente se o restante da Estação está aquém.

7º Identificar o "plano terra": Plano terra não tem nada a ver com antena plano terra. Você deve saber onde é o plano terra de sua Estação, e o mesmo não tem nada a ver com o solo. Descobrindo o plano terra, a partir dele você saberá qual é a altura ideal para sua antena. Respeitando esta regra, além do rendimento otimizado de sua Estação, jamais correrá riscos de TVi. Dúvidas?

Consulte-nos.

→ Dica de Segurança

A vantagem do Rádio na estrada, além da possibilidade de fazer grandes amigos, é saber o que está acontecendo lá na frente. Um possível deslizamento, bloqueio de pista, uma possível blitz falsa, assaltos, áreas perigosas, carros suspeitos e acidentes. Na verdade, o operador da Faixa do Cidadão precisa de muita malícia, porque em todo lugar haverá maldade e oportunismo. Já houve caso de amigo que quase foi morto em emboscada armada através de convites feitos na própria faixa. Pessoas que se passaram por radio-operadores o chamaram para tomar um café e o conhecer, e o mesmo foi, sem maldade nenhuma, mas estavam na verdade de olho em sua carga de remédios, relata João, Estação Cachorro Louco (Juiz de Fora MG). Portanto amigos, é possível sim fazer do rádio um ambiente saudável e seguro, basta denunciar quaisquer irregularidades e ficar atentos a desvios de conduta. Aproveite e faça sua parte, seja cordial, e JAMAIS se misture com radio-operadores que desrespeitam a faixa utilizado linguajar de baixo calão. Em caso de problemas, procure um posto da Polícia Rodoviária Estadual/Federal e denuncie.

Compartilhe!

→ WATTÍMETRO BIRD - SAIBA TUDO

APAGOU O PAINEL DO HANNOVER? Leia ↓

Não estamos tratando do painel LCD. Se as informações no LCD sumirem, basta clicar em Func e em seguida DW que é imediatamente reabilitado.

O painel Newligth (de letrinhas) do seu rádio Hannover (ou similares) está cada vez mais fraco, ou simplesmente não acende mais?

Algumas coisas você pode fazer "para evitar", para impedir que isso ocorra, então a primeira dica está na monitoração da fonte de alimentação ou, no caso de Estações móveis, o alternador.

Picos acima de 14v literalmente queimam o circuito que mantém o painel aceso, e para fazer essa leitura, "somente confie" se tiver em mãos um multímetro com congelamento de picos (Leitura Hold). Em ambos os casos se faz necessário essa monitoração. Então já sabe, o que causa a perda do recurso Newligth neste equipamento é falha na alimentação, o excesso de voltagem. Fique de olho, e mantenha em dia a manutenção de seu veículo ou fonte de alimentação.