Membros Participantes

Cadastre seu e-mail para receber novidades

segunda-feira, fevereiro 17, 2014

2

Visão panorâmica em casos de calamidade pública

A cada ano o clima no Brasil vem nos surpreendendo, seja com excesso de calor, excesso de chuvas, ou seja, temos uma pequena noção do porvir, mas prever com exatidão como se dará o clima no próximo mês é uma tarefa puramente questionável, o que dirá no próximo verão.
Uma pequena parte da classe radioamadorística vem trabalhando no sentido de remediar situações de calamidade. Remediar pois sabemos que por questões políticas, no Brasil, é meramente utópico pensar em investimento na prevenção. Construções são aprovadas todos os dias em áreas de risco, e sabemos que infelizmente pessoas eleitas por nós, que deveriam representar a população, legislam para benefício próprio, não se preocupando se amanhã a casa de alguém vai despencar ladeira-baixo. 
Para nós, radio-operadores preocupados com o "tapar de buracos", pois é apenas isso que podemos fazer, algo está sendo feito no sentido de preservar vidas, o que iremos tratar no decorrer do texto.

É claro que a população tem sua parcela de culpa quando constrói seu "barraco" em locais de risco, mas só quem vive no Brasil é capaz de entender o quanto é difícil para o povo sobreviver com o que produz, quanto mais ter condições de comprar um pedaço de terra em local seguro. O brasileiro sobrevive com o "substrato do pó do resto", o que invariavelmente força a classe mais baixa a invadir determinados locais e construir "seu puxadinho". Aquele mesmo político, que poderia viabilizar legalmente a construção dessas moradias em áreas seguras, se preocupa pura e simplesmente em "arrecadar impostos"; legaliza a construção em área de risco mantendo a saúde dos cofres públicos em detrimento da segurança da população de baixa renda.
Olhe a que ponto chegamos.
Se todas as nações estrangeiras soubessem como é a vida do brasileiro, tenho certeza que abririam suas portas para nós e nos receberiam com um sincero e caloroso abraço.

Voltando ao assunto... 
Teresópolis RJ é residência de um dos radioamadores mais conhecidos do Brasil - por conta de seu site, Feirinha Digital, e nosso companheiro, conhecido como Bira, integrou a Faixa do Cidadão como sistema de segurança principal em sua cidade. O motivo pelo qual escolheu a Faixa do Cidadão é meramente burocrático, visto que para licenciar Estações de Radioamador se faz necessário todo um processo seletivo. 

Bira montou um centro de comando que será vinculado - não institucionalmente - às autoridades da Defesa Civil, e providenciou a instalação de antenas e rádios homologados em todos os bairros da cidade, e com isso, caso ocorra novamente alguma intempérie climática, as Estações instaladas poderão interagir com o centro de comando, auxiliando dessa forma o resgate e salvamento de necessitados, não é o máximo?!
Meus sinceros parabéns ao amigo Bira!

Essa visão panorâmica do contexto nacional se faz necessária, e como expliquei no início do texto, não se trata de prevenção, pois nosso problema vai além, é burocrático e legislativo, se trata de tomar as rédeas da situação e procurar melhor solução possível, assim, casos extremos da natureza poderão ser encarados de forma organizada.
Compartilhe, copie o link e cole nas redes sociais.
73s
((•)) Ouça este post

2 comentários:

Xavier disse...

ola Andre, O Serviço Radio Cidadão tem muito a contribuir com a Defesa Civil, e nosso amigo Bira teve a visão desta grande equipe que somos todos nos operadores dos 11 metros.
Xavier PX4A 8183 estação ferro de solda Uba MG

André Luiz disse...

É isso aí Xavier, vamos trabalhar sério para que essa iniciativa sirva como um "a partir dê" para as demais localidades de nosso território brasileiro.
Alemão PX4G1578

Sem instrumentos, não adianta!

Sem instrumentos, não adianta!
clique na imagem

Postagem em destaque

Consertando e ajustando pastilhas de wattímetro Bird

"Para aqueles que acham que este instrumento é incorruptível", é bom saber que os wattímetros Bird usam elementos removíveis, cha...

→ TVi ↓

TVi é um dos problemas mais sérios que o radio-operador pode sofrer. Pensando nisso, aqui vai algumas dicas seguras sobre como evitar este problema.

1º Cabo: Tem gente que acha que é só soldar o fio no conector e está tudo certo. Ledo engano!

Antes de soldar o conector, certifique-se que a malha esteja totalmente prateada, brilhando. Caso não esteja, substitua o cabo, ele está oxidado. "É a ação do tempo".

2º Conector: Verifique a qualidade do conector no ato da compra, e caso seu conector esteja a anos sendo utilizado (ou guardado), passe uma lixa fina por dentro no local onde encaixa a malha. Não deve haver nenhum tipo de sujeira ou sinal de oxidação.

3º Conector fêmea do rádio: Utilize uma chave de estria tamanho 19 e aperte a porca. Mal contato é um problema sério. Verifique a solda interna após o reaperto.

4º Não utilize antena tipo 5/8 caseira entre prédios e condomínios que estejam em locais mais altos que sua estação à distâncias menores de 10 metros. Lembre-se que a antena 5/8 irradia em ângulo reto, e a antena de tv do vizinho pode ser aquele famoso "bombrill".

Escolha sempre antena 5/8 industrial. Se for caseira utilize 1/4 de onda, pois seu lóbulo de irradiação aponta a ionosfera, ao invés do horizonte, como no caso da 5/8.

5º Não abra o ALC do equipamento. O ALC libera espúrios. Ao abrir potência do equipamento mantenha a proteção ALC. Da mesma forma que fazemos em nosso laboratório. Isso é imprescindível. Abrir ou aumentar potência não tem nada a ver com liberar ALC. Isso é para incompetentes e palitadores. Se abrir a potência do equipamento lembre-se de deixar o ALC atuando.

6º Estacionária: Nunca se esqueça que estacionária baixa não tem nada a ver com ressonância. A antena pode estar com roe ótima em determinado local, mas ressonar lá na casa do...

7º Identificar o "plano terra": Plano terra não tem nada a ver com antena plano terra. Você deve saber onde é o plano terra de sua estação, e o mesmo não tem nada a ver com o solo. Descobrindo o plano terra, a partir dele você saberá qual é a altura ideal para sua antena. Respeitando esta regra, além do rendimento otimizado de sua Estação, jamais correrá riscos de TVi. Dúvidas?

Consulte-nos.

→ Power RF Aprenda ↓

Como saber a potência correta sem ser enganado?

Primeiro, pesquise sobre o DATASHEET do transistor do seu rádio, leia a respeito, verifique a potência máxima levando em consideração a voltagem do transistor. A base de cálculo é a fonte de alimentação, então o parâmetro é 13,8 volts.

Se apresenta 8A de consumo em amperímetro digital "com congelamento de pico máximo", basta multiplicar 13,8v por 8A e o resultado dividir por 2.66, eis a potência correta, que são 41,5 watts de envelope - PEP. Em miúdos, no assovio tem que dar 41,5 watts, e na modulação 60% por conta do péssimo modulador original, então restam quase 25 watts de modulação real. Viu porque não adianta palitar? Girar ou abrir posição de trimpot apenas gera mais calor, e calor é igual a perda. Quanto mais se aquece o transistor, mais fecha a entrada de gate quando aquecido, e por isso você precisa alterar alguns componentes na saída, porque eles impedem o rendimento da potência final (isso só serve para rádios PX).

Um rádio na atualidade - 2015 - original apresenta 20w PEP SSB em média, então você tem 13,8v X 4A de consumo, que é = 55.2w Dividido por 2.66 = 20,75w efetivos. Ou seja, fonte de 5A para esse rádio original toca com folga.

Rádios com upgrade apresentam consumo entre 12A e 16A "em média" para mais, então você tem 13,8v X 12A = 165,6W em calor (em perda) divididos por 2,66 = +- 60w que representa o % aproveitável, e em média máxima "para 13,8v". Com voltagens DC to DC na alimentação, essa potência pode ultrapassar os 100 watts aproveitáveis, mas não há área de dissipação, então não recomendo. A bem da verdade, eu literalmente pago para ver alguém conseguir reproduzir o sistema que patenteamos, DC to DC.

Se utilizar bateria de 12v, o consumo em amperagem é maior. Quanto maior a voltagem, menor consumo em amperagem, quanto menor voltagem, maior consumo em amperagem.

By: Lei de Ohm.

Medições fora deste parâmetro são equivocadas.

Fale comigo

→ Dica de Segurança

A vantagem do Rádio na estrada, além da possibilidade de fazer grandes amigos, é saber o que está acontecendo lá na frente. Um possível deslizamento, bloqueio de pista, uma possível blitz falsa, assaltos, áreas perigosas, carros suspeitos e acidentes. Na verdade, o operador da Faixa do Cidadão precisa de muita malícia, porque em todo lugar haverá maldade e oportunismo. Já houve caso de amigo que quase foi morto em emboscada armada através de convites feitos na própria faixa. Pessoas que se passaram por radio-operadsores o chamaram para tomar um café e o mesmo foi, sem maldade nenhuma, mas estavam na verdade de olho em sua carga de remédios, relata João, Estação Cachorro Louco (Juiz de Fora MG). Portanto amigos, é possível sim fazer do rádio um ambiente saudável e seguro, basta denunciar quaisquer irregularidades e ficar atentos a desvios de conduta. Aproveite e faça sua parte, seja cordeal, e não se misture com radio-operadores que desrespeitam a faixa utilizado linguajar de baixo calão. Em caso de problemas, procure um posto da Polícia Rodoviária Estadual/Federal.

Oferecimento:

PXJF YOUTUBEadio.com.br

→ WATTÍMETRO BIRD - SAIBA TUDO


AUTO/ INFRAÇÃO /MULTA /IMPEDIMENTO/ LICENCIAMENTO EM MINAS GERAIS