Membros Participantes

quarta-feira, novembro 30, 2011

6

Usar ou não Amplificador Linear?

Não preciso falar que a legislação não permite, isso é indiscutível, consta na norma, está lá, mas não posso ser hipócrita em afirmar que você vai ser contestado sempre com apenas 20 watts, pois também é indiscutível, é pouca potência em SSB.
Não estamos falando de telegrafia com 1 watt em faixa cujo ruído é moderado, estamos falando de fonia, em faixa congestionada, em que só os melhores e mais bem preparados radio-operadores se comunicam.

A primeira coisa que um bom radio-operador possui ou deve pensar em possuir é uma antena de qualidade, a segunda coisa e não menos importante é o cabo, se possível um RG213, em segundo lugar o RG8, e só por último pensamos no rádio, e este, deve estar impecável, preparado para DX, no mínimo com procedimento de Powermod (Não esqueça a fonte de alimentação)

Do final da década 90 em diante até hoje os costumes mudaram muito, não se usa mais antena direcional, e hoje, a maioria opta por antenas menores, que verticalmente "cabem em qualquer edificação", e é exatamente este o problema, pois dessa forma as antenas perdem rendimento na mesma proporção em que os projetos baixam seus custos, e forçosamente a culpa recai sobre o rádio, que paga a conta no final.

É um grande retrocesso, ainda mais se for levar em consideração que qualquer rádio meia boca é capaz de superar fronteiras com uma antena direcional, em contrapeso, hoje existem rádios mais potentes, que utilizando antenas Plano Terra são capazes de obter o mesmo resultado.
Claro que este contraste reflete diretamente na maneira de fazer DX, pois quanto menos diretiva for a antena, mais potente deve ser o rádio, justamente por transmitir de forma menos seletiva, mais ruído você terá que suportar.

A verdadeira "culpa" disso são os radio-operadores "velhos de guerra" que se negam a ensinar o que realmente é melhor para os novatos. Os radio-operadores recentes ainda aprendem empiricamente, por método de tentativa e erro, não por exemplo ou explicação...

Nos rádios antigos você não tinha escolha, para fazer contatos a longa distância todo dia, ou operava com antena direcional, ou operava com linear, já nos rádios atuais a conversa é outra, pois existe uma flexibilidade muito grande de potência, que pode ser aplicada sem o menor risco de queima do equipamento. Você pode colocar desde 40, até 90 watts SSB reais, que equivalem a muita coisa se for comparar o rádio de ontem com o que temos hoje.
Isso não está distante de uma linear ou um rádio banda corrida. Imagine isso aplicado à uma Yaggi de 4 elementos de +- 9 db.

Simplificando a conversa, com baixo custo de investimento você pode ter um rendimento espetacular, sem a menor necessidade de usar amplificador linear.
Sou da seguinte opinião, se você escuta determinada estação, ela deve te escutar, e se não te escuta, tem algo errado, seja na sua estação, seja na estação que está escutando.

Um dos problemas de se utilizar linear é justamente este, você consegue chegar a lugares muito distantes, mas quem está lá, não consegue se comunicar com você, e isso acaba gerando certo desconforto para quem te escuta, e é mais um motivo de eu preferir retrabalhar o próprio rádio, pois onde minha estação chegar, a oposta terá condições de se comunicar.

Pense nisso, e invista na coisa certa, não gaste dinheiro atoa com linear, trabalhe bem o material que tem, e quando sobrar um pouco de dinheiro, compre uma antena direcional, de no mínimo 4 elementos, aí depois você volta aqui e me diz se tenho razão ou não.
73s
((•)) Ouça este post

6 comentários:

Bene disse...

Bom dia André! Poderia passar os dados da medida certa para os cabos? qual a fórmula que deve ser usada? Obrigado

André Luiz disse...

Para calcular o comprimento de um cabo coaxial que ligará o rádio à antena
devemos saber o seguinte:

- Fator de encurtamento (fe) do cabo. Este fator corresponde a um número, sempre menor
do que 1, e que varia de acordo com as características do cabo.

Para o cabo RG58, este
fator é igual a 0,657. Este fator será igual para todos os cabos coaxiais de 50 Ohms.
Para cabos coaxiais celulares, como o RGC58, este fator é de 0,8. Todos os cabos
coaxiais celulares de 50 Ohms terão este fator de encurtamento.

- Freqüência (f) que iremos transmitir (o ideal seja que vo cê use uma frequência que
corresponda ao meio da faixa da respectiva frequencia).
- Velocidade da luz (vl) 300 milhões de metros por segundo (300.000 km/s).
Com estes valores em mãos podemos calcular o comprimento do cabo© da seguinte forma:

Pegamos a velocidade da luz e dividimos pela freqüência :
© = vl / f.

Pegamos este valor e dividimos por quadro por que queremos ¼ de onda
©=(vl / f)/4

Agora pegamos este valor e multiplicamos pelo fator de encurtamento (fe):

©=[(vl / f)/4] x 0.657 (para o cabo RG58 com 50 ohms)
Temos agora o comprimento de um cabo, caso este tamanho seja curto basta
multiplicarmos este valor por números ímpares (ni) até encontramos um valor que seja o
suficiente para conectar o rádio com a antena.

©={[(vl / f)/4] x 0,657} x ni
Este procedimento é utilizado por muitos Radioamadores para melhorar o casamento de
impedâncias e, consequentemente, reduzir a refletida ou ondas estacionárias.

RESUMO DA FÓRMULA:

© = {[(vl / f)/4]x fe x ni
Onde: © = Comprimento do cabo coaxial (m)
vl = Velocidade da luz (km/seg)
f = Freqüência (khz)
fe = Fator de Encurtamento para cabo RG58 = 0,657 (admensional)
ni = Numero impar escolhido conforme comprimento do cabo.

marciost disse...

bom dia,preciso da ajuda dos colegas para identificar os pontos +bSB e+B LSB, para ligar um freq num radio lafayette lms-40 freq. fc-390 tenho o equema do radio

joao disse...

Excelente blog. Muito bem redigido, bem interessante. André, desculpa a minha falta de conhecimento, mas você poderia me dizer o que é um "LINEAR"? Para que serve? Qual o benefício de se usar um? E finalmente, no meu caso que sou DX-ista, faz algum sentido comprar um linear para usar na prática do DX? Já sobre a fonte estabilizadora, meu receptor é 220v, bem como minha rede de alimentação, porém, já ouvi comentários de que mesmo assim, seria interessante que eu não o operasse em 220v e sim em 110v (com uso de uma boa fonte de alimentação), isso faz sentido?!? Valeu e tudo de bom.

halison GI disse...

Não

Joaquim Anastacio disse...

Qual a medida do cabo que liga o rádio ate a bota.

Sem instrumentos, não adianta!

Sem instrumentos, não adianta!
clique na imagem

Postagem em destaque

Consertando e ajustando pastilhas de wattímetro Bird

"Para aqueles que acham que este instrumento é incorruptível", é bom saber que os wattímetros Bird usam elementos removíveis, cha...

→ TVi ↓

TVi é um dos problemas mais sérios que o radio-operador pode sofrer. Pensando nisso, aqui apresento algumas dicas seguras sobre como evitar este problema.

1º Cabo: Tem gente que acha que é só soldar o fio no conector e está tudo certo. Ledo engano!

Antes de soldar o conector, certifique-se que a malha esteja totalmente prateada, brilhando. Caso não esteja, substitua o cabo, ele está oxidado. "É normal a ação do tempo".

2º Conector: Verifique a qualidade do conector no ato da compra, e caso o conector esteja a anos sendo utilizado (ou guardado), passe uma lixa fina por dentro no local onde encaixa a malha. Não deve haver nenhum tipo de sujeira ou sinal de oxidação.

3º Conector fêmea do rádio: Utilize uma chave de estria tamanho 19 e aperte a porca. Mal contato é um problema sério. Verifique a solda interna após o reaperto.

4º Não utilize antena tipo 5/8 caseira entre prédios e condomínios que estejam em locais mais altos que sua estação à distâncias menores de 10 metros. Lembre-se que a antena 5/8 irradia em ângulo reto, e a antena de tv do vizinho pode ser aquele famoso "bombrill".

Escolha sempre antena 5/8 industrial. Se for caseira utilize 1/4 de onda, pois seu lóbulo de irradiação aponta a ionosfera, ao invés do horizonte, como no caso da 5/8.

5º Não abra o ALC do equipamento - limitadores de áudio. O ALC libera espúrios. Ao abrir potência do equipamento, mantenha intacto o ALC, ou solicite que seja feito por um técnico que tenha posse de instrumentação, como analisador de espectro, e "que saiba usar". Da mesma forma que fazemos em nosso laboratório. Isso é imprescindível! Abrir ou aumentar potência não tem nada a ver com liberar ALC. Isso é para incompetentes e palitadores. Se abrir a potência do equipamento, lembre-se de deixar o ALC atuando.

6º Estacionária: Nunca se esqueça que estacionária baixa não tem nada a ver com ressonância. A antena pode estar com roe ótima em determinado local, mas não estar ressonando corretamente. Desta forma, não adianta ter rádio potente se o restante da Estação está aquém.

7º Identificar o "plano terra": Plano terra não tem nada a ver com antena plano terra. Você deve saber onde é o plano terra de sua Estação, e o mesmo não tem nada a ver com o solo. Descobrindo o plano terra, a partir dele você saberá qual é a altura ideal para sua antena. Respeitando esta regra, além do rendimento otimizado de sua Estação, jamais correrá riscos de TVi. Dúvidas?

Consulte-nos.

→ Dica de Segurança

A vantagem do Rádio na estrada, além da possibilidade de fazer grandes amigos, é saber o que está acontecendo lá na frente. Um possível deslizamento, bloqueio de pista, uma possível blitz falsa, assaltos, áreas perigosas, carros suspeitos e acidentes. Na verdade, o operador da Faixa do Cidadão precisa de muita malícia, porque em todo lugar haverá maldade e oportunismo. Já houve caso de amigo que quase foi morto em emboscada armada através de convites feitos na própria faixa. Pessoas que se passaram por radio-operadores o chamaram para tomar um café e o conhecer, e o mesmo foi, sem maldade nenhuma, mas estavam na verdade de olho em sua carga de remédios, relata João, Estação Cachorro Louco (Juiz de Fora MG). Portanto amigos, é possível sim fazer do rádio um ambiente saudável e seguro, basta denunciar quaisquer irregularidades e ficar atentos a desvios de conduta. Aproveite e faça sua parte, seja cordial, e JAMAIS se misture com radio-operadores que desrespeitam a faixa utilizado linguajar de baixo calão. Em caso de problemas, procure um posto da Polícia Rodoviária Estadual/Federal e denuncie.

Compartilhe!

→ WATTÍMETRO BIRD - SAIBA TUDO

APAGOU O PAINEL DO HANNOVER? Leia ↓

Não estamos tratando do painel LCD. Se as informações no LCD sumirem, basta clicar em Func e em seguida DW que é imediatamente reabilitado.

O painel Newligth (de letrinhas) do seu rádio Hannover (ou similares) está cada vez mais fraco, ou simplesmente não acende mais?

Algumas coisas você pode fazer "para evitar", para impedir que isso ocorra, então a primeira dica está na monitoração da fonte de alimentação ou, no caso de Estações móveis, o alternador.

Picos acima de 14v literalmente queimam o circuito que mantém o painel aceso, e para fazer essa leitura, "somente confie" se tiver em mãos um multímetro com congelamento de picos (Leitura Hold). Em ambos os casos se faz necessário essa monitoração. Então já sabe, o que causa a perda do recurso Newligth neste equipamento é falha na alimentação, o excesso de voltagem. Fique de olho, e mantenha em dia a manutenção de seu veículo ou fonte de alimentação.