Membros Participantes

sábado, maio 11, 2013

2

Faixa do Cidadão e Internet, serviços distintos, de mãos dadas.

Dizem que a faixa do cidadão acabou, mas o "acabou" é algo que abrange ideia circunscrita, bastante particular, que se limita a mentes manipuláveis, e escutamos daqueles que sairam do rádio o argumento básico de que PX é bagunça, e que prefere Facebook.
Como assim?
O que tem a internet a ver com o rádio?
Rádio não é mecanismo de busca, internet não é apenas meio de comunicação, ambos são serviços distintos que podem dar as mãos em qualquer momento a fim de estreitar os laços e  distância, só que de forma completamente diferente.
AMIGOS USUÁRIOS DO RÁDIO PX EM CONFRATERNIZAÇÃO
Se você pensar bem, nunca tivemos em toda história do rádio tantos recursos palpáveis em matéria de equipamentos, quanto mais acessórios. A indústria investe pesado no segmento em pleno 2013, e geralmente quem sai no lucro somos nós. 
Somos os únicos beneficiados com isso, e hoje temos vasta opção. Por outro lado, os companheiros que abandonaram o hobby não conseguem distinguir o PX da tecnologia, ou mesmo aplicar a tecnologia a serviço do PX. É estranho e lamentável, pois há um défcit de raciocínio sobre o tema. O mesmo cidadão que fala errado no rádio (independente do seviço ou classe), escreve errado na internet, ou seja, o problema não está no hobby, está nas pessoas, no objetivo individual que se limita a própria esfera corpórea. (Por isso acho que tirar o CW das provas de radioamador é baixar a cabeça para o limite individual do cidadão. Mas isso é um assunto a parte...)
Hoje temos antenas de primeiro mundo, uns cinco ou mais modelos de rádios homologados Cobra, dois modelos de rádios homologados Hannover, microfones amplificados Cobra (bonitos e funcionais), wattímetros de ponteiros cruzados que até a MFJ coloca sua marca (confira clicando aqui). Pessoal, antes, wattímetro era instrumento de luxo, quanto mais de ponteiros cruzados, e hoje temos isso disponível no mercado, e barato. Temos suportes de antena de qualidade, cabos que variam de 95 a 98% de malha (antigamente era 50% de malha, por isso se fazia necessário medida de cabo) rádios com extra recursos - bluetooth -, rádios compactos, acessórios de acabamento tanto para os próprios rádios quanto para carretas, e o melhor, hoje temos instrução, ou mesmo recursos para se instruir, a internet.
Consegue distinguir a diferença de cada serviço?

((•)) Ouça este post

2 comentários:

Ricardo Manoel disse...

CONCORDO ANDRÉ, PARA QUEM CONHECEU O PX ANTES DA INTERNET COMO EU,SABE QUANTO ERA DIFICIL CONSEGUIR UM ESQUEMA "POR EXEMPLO", JÁ HOJE PODEMOS CONTAR PRINCIPALMENTE COM AS SUAS DICAS NO PXJF. AGORA DOU GRAÇAS A DEUS PORQUE A INTERNET LEVOU MUITOS BALAIEROS QUE SÓ PERTURBAVAM NA FAIXA DO CIDADÃO,HOJE MAIS COMPOSTA POR AQUELES QUE SÃO REALMENTE APAIXONADOS PELO PX !"ASSIM COM NÓS" ESTAÇÃO RICARDÃO QRA-RICARDO MANOEL PX6A 7289 VALENÇA- BA

Gelson disse...

Olá amigos!
Não sou nenhum operador experiente no PX, mas sou um exemplo de que a internet pode ser usada a favor dele.
Aqui na minha região não existem pessoas com experiência e muito menos técnicos para orientar ou prestar serviços nesta área.
Bem, iniciei a uns três anos com um Cobrinha 19DX e uma antena móvel base magnética apenas por curiosidade e é claro que os resultados foram minusculos, mas serviram para que eu me tornase um viciado e apaixonado pelo PX, apartir dai tive que buscar informações para progredir, mas aonde, até então eu nunca havia acessado internet, então comprei um not e mandei instalar o serviço em minha casa.
Apartir dai boa parte doque eu pesquiso é sobre PX e o pouco que aprendi foi desta forma.
Graças a internet foi possível fazer duas antenas, saber as medidas dos cabos, montar minha base, comprar peças e acessórios, saber qual rádio seria uma boa aquisição, manda-lo para upgrade e ver muitas dicas para não sair munhecando, nem com a base e nem na modulação.
Mas tudo isso é possível, graças a pessoas como o Alemão que não medem esforços para compartilhar seu conhecimento com os outros e aproveito a oportunidade para reconhecer e agradecer todo esse esforço.
73s TKS!!!
PX3P5152

Cadastre seu e-mail para receber novidades

Sem instrumentos, não adianta!

Sem instrumentos, não adianta!
clique na imagem

Postagem em destaque

Consertando e ajustando pastilhas de wattímetro Bird

"Para aqueles que acham que este instrumento é incorruptível", é bom saber que os wattímetros Bird usam elementos removíveis, cha...

→ TVi ↓

TVi é um dos problemas mais sérios que o radio-operador pode sofrer. Pensando nisso, aqui vai algumas dicas seguras sobre como evitar este problema.

1º Cabo: Tem gente que acha que é só soldar o fio no conector e está tudo certo. Ledo engano!

Antes de soldar o conector, certifique-se que a malha esteja totalmente prateada, brilhando. Caso não esteja, substitua o cabo, ele está oxidado. "É normal a ação do tempo".

2º Conector: Verifique a qualidade do conector no ato da compra, e caso o conector esteja a anos sendo utilizado (ou guardado), passe uma lixa fina por dentro no local onde encaixa a malha. Não deve haver nenhum tipo de sujeira ou sinal de oxidação.

3º Conector fêmea do rádio: Utilize uma chave de estria tamanho 19 e aperte a porca. Mal contato é um problema sério. Verifique a solda interna após o reaperto.

4º Não utilize antena tipo 5/8 caseira entre prédios e condomínios que estejam em locais mais altos que sua estação à distâncias menores de 10 metros. Lembre-se que a antena 5/8 irradia em ângulo reto, e a antena de tv do vizinho pode ser aquele famoso "bombrill".

Escolha sempre antena 5/8 industrial. Se for caseira utilize 1/4 de onda, pois seu lóbulo de irradiação aponta a ionosfera, ao invés do horizonte, como no caso da 5/8.

5º Não abra o ALC do equipamento - limitadores de áudio. O ALC libera espúrios. Ao abrir potência do equipamento, mantenha intacto o ALC, ou solicite que seja feito por um técnico que tenha posse de instrumentação, como analisador de espectro, e "que saiba usar". Da mesma forma que fazemos em nosso laboratório. Isso é imprescindível! Abrir ou aumentar potência não tem nada a ver com liberar ALC. Isso é para incompetentes e palitadores. Se abrir a potência do equipamento, lembre-se de deixar o ALC atuando.

6º Estacionária: Nunca se esqueça que estacionária baixa não tem nada a ver com ressonância. A antena pode estar com roe ótima em determinado local, mas não estar ressonando corretamente. Desta forma, não adianta ter rádio potente se o restante da Estação está aquém.

7º Identificar o "plano terra": Plano terra não tem nada a ver com antena plano terra. Você deve saber onde é o plano terra de sua Estação, e o mesmo não tem nada a ver com o solo. Descobrindo o plano terra, a partir dele você saberá qual é a altura ideal para sua antena. Respeitando esta regra, além do rendimento otimizado de sua Estação, jamais correrá riscos de TVi. Dúvidas?

Consulte-nos.

→ Dica de Segurança

A vantagem do Rádio na estrada, além da possibilidade de fazer grandes amigos, é saber o que está acontecendo lá na frente. Um possível deslizamento, bloqueio de pista, uma possível blitz falsa, assaltos, áreas perigosas, carros suspeitos e acidentes. Na verdade, o operador da Faixa do Cidadão precisa de muita malícia, porque em todo lugar haverá maldade e oportunismo. Já houve caso de amigo que quase foi morto em emboscada armada através de convites feitos na própria faixa. Pessoas que se passaram por radio-operadores o chamaram para tomar um café e o conhecer, e o mesmo foi, sem maldade nenhuma, mas estavam na verdade de olho em sua carga de remédios, relata João, Estação Cachorro Louco (Juiz de Fora MG). Portanto amigos, é possível sim fazer do rádio um ambiente saudável e seguro, basta denunciar quaisquer irregularidades e ficar atentos a desvios de conduta. Aproveite e faça sua parte, seja cordial, e JAMAIS se misture com radio-operadores que desrespeitam a faixa utilizado linguajar de baixo calão. Em caso de problemas, procure um posto da Polícia Rodoviária Estadual/Federal e denuncie.

Compartilhe!

→ WATTÍMETRO BIRD - SAIBA TUDO