Membros Participantes

domingo, março 10, 2013

9

Momento saudade...

Eu não sei na sua cidade, mas aqui em Juiz de Fora nos anos 80/90 a Faixa do Cidadão funcionou.
Quem pode falar muito bem sobre todas as histórias é minha Madrinha de casamento Alba PX4A9503 e meu Padrinho de casamento Serginho PX4B4217. Este post é apenas o que consta em minha memória.
A interação do Serviço de Saúde pública com os radio-operadores era fantástico. Me lembro de participar de alguns eventos, não muitos pois era bem novinho, mas de alguns eu me recordo, como a exemplo a campanha de vacinação.
Não existiam telefones celulares como hoje, e a comunicação por telefone fixo era bem precária e restrita. A Secretaria de Saúde Pública não tinha controle sobre a quantidade de crianças existentes em nossa cidade, não existia sequer estimativa, e a campanha de vacinação só tinha sucesso se os radio-operadores da Faixa do Cidadão estivessem ajudando. O clube de PX bombava!
O legal era a organização. Em dia de vacinação, cada radio-operador se dirigia com sua Estação Móvel para os bairros e colocava sua Estação à disposição nos postos de saúde. A  função do radio-operador naquele momento era o monitoramento da quantidade de vacina para a população. Quando o público infantil era superior à quantidade de vacinas,  os agentes de saúde, até então sem comunicação com a rede de distribuição, contavam com o precioso auxílio do radio-operador, que avisava no rádio para outro radio-operador que estava com sua Estação em local estratégico, a fim de colher as informações de TODOS OS BAIRROS, e assim repassava as necessidades, quantidades e detalhes ao posto principal de distribuição, que realizava imediata entrega das vacinas que faltavam. Toda a cidade dependia dessa rede de integração, e ao contrário de parecer cansativo, acabava sendo muito divertido.
Lembro também das gincanas de arrecadação de alimentos para os abrigos públicos quando em época de chuvas e desabrigados... campanha do agasalho, entre outras muitas... outro detalhe interessante, e que vale ressaltar, era a presença constante do Corpo de Bombeiros Militar nos eventos, promovendo apresentações, aulas e cursos de segurança e primeiros socorros à radio-operadores, pois estes estavam sempre à frente em casos de calamidade. O canil da Polícia Militar também sempre participou ativamente nos eventos. Era muito legal!
 Os meios de comunicação avançaram, e velhos costumes foram deixados de lado. Uma pena.
Com o espírito de relembrar uma época linda de nossas vidas, eu mesmo legendei o filme abaixo. Filme de época com Burt Reynolds - "Smoke and the Bandit" (Agarra-me se puderes)
Assista com sua familia.
Presente de nosso Blog à você, leitor.
73s
http://youtu.be/W7XUlb6IBAY
((•)) Ouça este post

9 comentários:

Ernestus disse...

A Faixa do Cidadão realmente teve seus anos áureos. Comecei ao rádio em 1980, com 14 anos de idade, completamente sem recursos financeiros. Minha primeira estação foi montada a duras penas: um radioamador amigo da familia me doou um pequeno Lafayette HB-740, de 23 canais AM, e uma fonte de 5A, juntamente com instruções de como montar uma antena dipolo, o que prontamente fiz. Assim, ignorando as condições de ROE, e com a antena literalmente pendurada nas grades do apartamento, pude me fazer parte integrante de um seleto grupo de felizardos cultivadores de uma atividade que era maior do que simplesmente um hobbie, pois tratava-se de um eficaz veículo de integração social. A própria comunidade radioamadorística da Grande Vitória era, em peso, usuária e incentivadora da Faixa do Cidadão, agregando valores importantes, como a ética operacional e o compartilhamento de alguns conhecimentos técnicos básicos.

A propagação era fantástica. Fiz inúmeros DX com meu simplório aparelho em AM: Quase todos os dias falava com a 3ª, 5ª, 7ª, 8ª e 9ª regiões. Fiz "mosca-branca" com São Paulo, Rio, Bahia, Minas Gerais, e até faturei uns contatos internacionais com países vizinhos. A quantidade de operadores era tanta, que era só ligar o rádio e falar: tinha sempre alguém "corujando" ou algum QSO (ou até rodada) acontecendo. A QRM era implacável - 6 a 9 no s-meter diariamente. Tempo bom...

E as campanhas de vacinação? Essas eram sempre muito concorridas por aqui. Todos queriam participar. Distribuíamos estações móveis que se revezavam em turnos nos postos de atendimento e na torre da televisão, ponto mais alto da cidade, para servir de "ponte" entre as demais. Outras, buscavam o material e o entregavam nos locais mediante orientação dos operadores. Alguns macanudos se dispunham a buscar os mais carentes em casa e levá-los ao local de vacinação. Todos trabalhavam, todos contribuíam, e a sensação de dever cumprido era muito gratificante.

Os laços de amizade eram fortes entre os operadores de rádio de todas as categorias, que se ajudavam mutuamente, fazendo mutirões de instalação e manutenção de antenas. Uns cediam suas caixas postais aos que tinham endereços muito longos, para facilitar a troca de "cartolinas".

Por aqui havia o PX-Clube do Espírito Santo, Com sala de QAP localizada em Vila Velha. Tinha também o Grupo Tubarões de Camburi e o CORFACI de Vitória, que mantinham a estação do COPOM da PM devidamente revisada e em funcionamento no canal 9.

Quem chegava em Vitória pela BR 101 era recepcionado por uma placa dando as boas-vindas e informando um canal de QAP, por onde eram passadas informações de trânsito, turismo, rede hoteleira, restaurantes, praias, e também sobre serviços de emergência, como oficinas mecânicas, hospitais, etc.

Neste sentido, sou saudosista assumido. Quem nos dera poder retomar a atividade de outrora!!! Quem nos dera poder tornar-nos uma comunidade de peso para quem sabe mudar o país, que anda mergulhado em tantos desmandos, apregoando a austeridade, a boa convivência, e ter a satisfação de nos oferecermos para ajudar o próximo sem visar retribuição, mas com a simples gratuidade de nossos corações...

O tempo é agora. Temos tentado "reviver" o PX por aqui. Quem sabe ainda o veremos "bombando" de novo? Quem sabe possamos ainda ser reconhecidos como verdadeiros CIDADÃOS-da Faixa, em vez de sermos simplesmente adeptos da Faixa do Cidadão!!!

André Luiz disse...

Pelo que você comenta, a coisa funcionava mais ou menos igual em algumas cidades... suas observações são muito interessantes, e nos remetem a uma fase muito agradável da F.Cidadão.

Ernestus disse...

Positivo.
É por isso que às vezes discordo da afirmação de que o PX foi em sua época que as redes sociais são hoje.

Na verdade, a atividade onzemetrista era muito mais empolgante e envolvente: as pessoas se doavam de verdade e confraternizavam-se em reuniões presenciais (não virtuais), com direito a churrasco e tudo o mais.

Hoje parece haver uma barreira cultural a ser transposta para que o país funcione como naqueles tempos de menor indice de criminalidade e maior confiança mútua, em que o PX tinha lugar garantido.

De qualquer forma, creio que devemos sempre lutar por melhores dias em todos os setores da nossa vida. Se não houver melhora, pelo menos teremos a consciência tranquila por termos feito a nossa parte.

Imagine termos o PX de ontem com a tecnologia de hoje!!!

André Luiz disse...

Para endossar suas palavras, um vídeo bem antigo (ainda em VHS) de um encontro "semanal" entre alguns macanudos NO ANO DE 2001
https://www.youtube.com/watch?v=R4zK-JRTONc

Gelson disse...

Ouvindo vocês, veteranos e esperientes operadores, me da um nó na garganta por não ter vivido esta época de glória dos 11 metros.
Pois eu era apenas um bebê no colo dos meus pais.
Ainda era criança quando vi um filme o qual não lembro o nome mas que tinha um grupo de caminhoneiros que se comunicavam pelo PX, lembro bem de um QRA "Pato de borracha".
Apartir dai nasceu minhas paixões pelo PX e pelo caminhão.
Quanto ao caminhão tudo certo, pois cada dia tem mais nas estradas, mas quanto ao PX acho que cheguei um pouco tarde, pois na minha cidade 3' Barão de Cotegipe, mesmo depois de varias tentativas de incentivar alguns amigos a montarem suas estações, continuo sendo o unico operador do local.
É uma pena que a gurisada da minha idade não pegue o gosto pelo asunto, pois hoge em dia é só computador e celular e a grande maioria das pessoas vão pelo lado mais facil das coisas, é claro que uma dose de praticidade faz bem, mas tem coisas ficam mais intereçantes quando exigem um pouco de conhecimento esforço e pasciencia para funcionar.
Pois concordo com aquela comparação entre PX e computador como ir até o rio pescar o peixe ou ir ao mercado comprar ja embalado.
Mesmo assim continuo empolgado com os raros QSOs que consigo fazer com outras estações e as breves cruzadas de antenas com os companeiros da rodagem.
Não curto "bate papo virtual", por isso alimento a esperança de um dia o PX virar uma "febre" novemente.
Abraço a todos os onzemetristas deste Brasil!!!
Parabens pelo blog!!!
PX3P5152 TKS

Ernestus disse...

Grande Gelson,

O PX é uma paixão. Não desanime de cultivá-la, macanudo.

Na minha cidade, também sou o único operador. A propagação tem estado boa no início da noite, então, o negócio é curtir uns DX e colecionar umas cartolinas.

De qualquer forma, mesmo sem comunicação local, ainda me divirto muito ao rádio.

73!!!

André Luiz disse...

eu acho que eu tenho esse filme...
se chama COMBOIO

Gelson disse...

Belesa Ernestus, TKS ai pelas palavras.
É claro que não vou desanimar, até mandei meu radio para o Alemão dar uma "turbinada" e ai conseguir uns DX com os macanudos de longe.
TKS ai Alemão por lembrar o nome do filme.

André Luiz disse...

O filme é esse mesmo?

Cadastre seu e-mail para receber novidades

Sem instrumentos, não adianta!

Sem instrumentos, não adianta!
clique na imagem

Postagem em destaque

Consertando e ajustando pastilhas de wattímetro Bird

"Para aqueles que acham que este instrumento é incorruptível", é bom saber que os wattímetros Bird usam elementos removíveis, cha...

→ TVi ↓

TVi é um dos problemas mais sérios que o radio-operador pode sofrer. Pensando nisso, aqui vai algumas dicas seguras sobre como evitar este problema.

1º Cabo: Tem gente que acha que é só soldar o fio no conector e está tudo certo. Ledo engano!

Antes de soldar o conector, certifique-se que a malha esteja totalmente prateada, brilhando. Caso não esteja, substitua o cabo, ele está oxidado. "É a ação do tempo".

2º Conector: Verifique a qualidade do conector no ato da compra, e caso seu conector esteja a anos sendo utilizado (ou guardado), passe uma lixa fina por dentro no local onde encaixa a malha. Não deve haver nenhum tipo de sujeira ou sinal de oxidação.

3º Conector fêmea do rádio: Utilize uma chave de estria tamanho 19 e aperte a porca. Mal contato é um problema sério. Verifique a solda interna após o reaperto.

4º Não utilize antena tipo 5/8 caseira entre prédios e condomínios que estejam em locais mais altos que sua estação à distâncias menores de 10 metros. Lembre-se que a antena 5/8 irradia em ângulo reto, e a antena de tv do vizinho pode ser aquele famoso "bombrill".

Escolha sempre antena 5/8 industrial. Se for caseira utilize 1/4 de onda, pois seu lóbulo de irradiação aponta a ionosfera, ao invés do horizonte, como no caso da 5/8.

5º Não abra o ALC do equipamento. O ALC libera espúrios. Ao abrir potência do equipamento mantenha a proteção ALC. Da mesma forma que fazemos em nosso laboratório. Isso é imprescindível. Abrir ou aumentar potência não tem nada a ver com liberar ALC. Isso é para incompetentes e palitadores. Se abrir a potência do equipamento lembre-se de deixar o ALC atuando.

6º Estacionária: Nunca se esqueça que estacionária baixa não tem nada a ver com ressonância. A antena pode estar com roe ótima em determinado local, mas ressonar lá na casa do...

7º Identificar o "plano terra": Plano terra não tem nada a ver com antena plano terra. Você deve saber onde é o plano terra de sua estação, e o mesmo não tem nada a ver com o solo. Descobrindo o plano terra, a partir dele você saberá qual é a altura ideal para sua antena. Respeitando esta regra, além do rendimento otimizado de sua Estação, jamais correrá riscos de TVi. Dúvidas?

Consulte-nos.

→ Power RF Aprenda ↓

Como saber a potência correta sem ser enganado?

Primeiro, pesquise sobre o DATASHEET do transistor do seu rádio, leia a respeito, verifique a potência máxima levando em consideração a voltagem do transistor. A base de cálculo é a fonte de alimentação, então o parâmetro é 13,8 volts.

Se apresenta 8A de consumo em amperímetro digital "com congelamento de pico máximo", basta multiplicar 13,8v por 8A e o resultado dividir por 2.66, eis a potência correta, que são 41,5 watts de envelope - PEP. Em miúdos, no assovio tem que dar 41,5 watts, e na modulação 60% por conta do péssimo modulador original, então restam quase 25 watts de modulação real. Viu porque não adianta palitar? Girar ou abrir posição de trimpot apenas gera mais calor, e calor é igual a perda. Quanto mais se aquece o transistor, mais fecha a entrada de gate quando aquecido, e por isso você precisa alterar alguns componentes na saída, porque eles impedem o rendimento da potência final (isso só serve para rádios PX).

Um rádio na atualidade - 2015 - original apresenta 20w PEP SSB em média, então você tem 13,8v X 4A de consumo, que é = 55.2w Dividido por 2.66 = 20,75w efetivos. Ou seja, fonte de 5A para esse rádio original toca com folga.

Rádios com upgrade apresentam consumo entre 12A e 16A "em média" para mais, então você tem 13,8v X 12A = 165,6W em calor (em perda) divididos por 2,66 = +- 60w que representa o % aproveitável, e em média máxima "para 13,8v". Com voltagens DC to DC na alimentação, essa potência pode ultrapassar os 100 watts aproveitáveis, mas não há área de dissipação, então não recomendo. A bem da verdade, eu literalmente pago para ver alguém conseguir reproduzir o sistema que patenteamos, DC to DC.

Se utilizar bateria de 12v, o consumo em amperagem é maior. Quanto maior a voltagem, menor consumo em amperagem, quanto menor voltagem, maior consumo em amperagem.

By: Lei de Ohm.

Medições fora deste parâmetro são equivocadas.

Fale comigo

→ Dica de Segurança

A vantagem do Rádio na estrada, além da possibilidade de fazer grandes amigos, é saber o que está acontecendo lá na frente. Um possível deslizamento, bloqueio de pista, uma possível blitz falsa, assaltos, áreas perigosas, carros suspeitos e acidentes. Na verdade, o operador da Faixa do Cidadão precisa de muita malícia, porque em todo lugar haverá maldade e oportunismo. Já houve caso de amigo que quase foi morto em emboscada armada através de convites feitos na própria faixa. Pessoas que se passaram por radio-operadsores o chamaram para tomar um café e o mesmo foi, sem maldade nenhuma, mas estavam na verdade de olho em sua carga de remédios, relata João, Estação Cachorro Louco (Juiz de Fora MG). Portanto amigos, é possível sim fazer do rádio um ambiente saudável e seguro, basta denunciar quaisquer irregularidades e ficar atentos a desvios de conduta. Aproveite e faça sua parte, seja cordeal, e não se misture com radio-operadores que desrespeitam a faixa utilizado linguajar de baixo calão. Em caso de problemas, procure um posto da Polícia Rodoviária Estadual/Federal.

Oferecimento:

PXJF YOUTUBEadio.com.br

→ WATTÍMETRO BIRD - SAIBA TUDO