Membros Participantes

Cadastre seu e-mail para receber novidades

quinta-feira, fevereiro 14, 2013

19

Cobra 148 GTL - Comparativo


O Cobra 148 GTL é sem dúvida o mais famoso e preferido rádio para a Faixa do Cidadão.
Em seu lançamento no Brasil, década de 80, por atender as exigências de homologação do antigo Dentel, se tornou a principal e melhor opção. A característica é a famosa Deluxe. (Originalmente Deluxe são rádios com a frente prateada e com detalhes cromados)
Características:
Potência moderada de 4W AM e 12W SSB/PEP -
Uma breve observação sobre a potência deste equipamento:
A maioria dos leitores de potência utilizados - wattímetros - são analógicos, e seria impossível determinar os 12W com precisão utilizando dessas ferramentas, portanto, na leitura AVG, se o rádio apresenta mais que 10W no assovio, está errado. A modulação deste rádio no modo SSB não deve ultrapassar os 4,51W, que se multiplicarmos por 2,66 é igual a 12W.
- 40 canais originais; leitor de estacionária manual; controle de ganho de microfone e RF; filtros de recepção NB NB/ANL; sintonia tipo Voicelock (ajuste apenas em modo recepção com nomenclatura registrada padrão Cobra); PA - Public Adress para alto falante externo;
O áudio transmitido é característico pela fidelidade, por outro lado a recepção é um pouco afônica, abafada.
É possível fazer modificações no circuito de entrada de RF para melhorar a sensibilidade de recepção, mas o timbre afônico  não muda.
→Opinião PXJF: 
O rádio é bom, consome pouco e oferece durabilidade, mas no Brasil são homologados 80 canais, enquanto este modelo, padrão internacional, oferece apenas a metade, 40. Existe equipamento mais completo na mesma faixa de preço, realidade que a Cobra está trabalhando atualmente (2014). Para se adequar às normas brasileiras hoje, deverá oferecer mais. Poderia sugerir recursos além de  ajuste de voicelook  tx/rx, e também eco, beep, contador de frequência... mas creio que este modelo "mais completo" ficará para o final de 2014. 
Para melhorar o áudio do Cobra 148 GTL antigo  você pode adicionar um resistor de 1K em série com a perna do meio do (transistor) TR24, para fazer isso basta dessoldar a perna do meio do transistor e colocar a resistência em série com ele na placa. Alterar também  o resistor R126 (original 10k) para um de 4.7K  e por fim, altere o resistor R124 (10k) para um 4.7K. Neste rádio é aconselhável a substituição dos capacitores eletrolíticos a cada 10 anos. Isso melhora significativamente o funcionamento, mas "não aconselho a abertura do AMC, pois o áudio TX ficará distorcido, parecendo estar fora de frequência no modo SSB", como expliquei acima sobre a potência; não faça isso, invista em antena.
→O COBRA 148 GTL ATUAL: 
Áudio TX - transmissão é um pouco aquém se comparado ao tipo de microfone antigo, isso acontece devido a rigidez da membrana da cápsula de microfone. A ergonomia  é confortável, o acionamento do PTT é muito macio, e o cabo do microfone é enorme, muito bom!
O transistor de saída atual é equivalente ao antigo, mas não tem a mesma pegada do antigo 2SC1969. Continua com apenas 40 canais e nenhuma opção extra, mas é um belo rádio. Também não foi idealizado para o padrão atual do Brasil, e com isso, os concorrentes estão ganhando a praça.
Se a obra está ciente que o antigo transistor 1969 de qualidade superior não existe, por que não utiliza os novos IRF520?
-É bom, é barato... encontra em qualquer lugar...
Na questão de aparência o rádio atual é mais bonito que o antigo, porém, a placa de circuito, que é equivalente à antiga, não permite  melhora significativa de áudio na transmissão, mesmo alterando a cápsula do microfone.  O ideal é utilizar o microfone da própria Cobra, modelo HG M 75 .
O rádio atende as expectativas.
Obs: Novidades para o público da América do Sul, em breve...  só aqui!

((•)) Ouça este post

19 comentários:

Antonio Gaspar disse...

Certa vez, nos meados de 2000, eu tinha um rádio cobra 148 gtl, uma antena 5/8 da electril, uma fonte da lark de 30 amperes, e um amplificador de watts da voyager 777 plus. Na época eu tinha 30 anos de idade, e um dia eu deixei ele ligado no meu quarto, naquele dia eu estava limpando a casa, eu e meu pai, por que minha mamãe estava com cançêr, e ela estava de cama e muito fraca. E naquele dia, o tempo estava escurecendo. Eu me lembro que eu estava passando o pano úmido com alcool no sofa; quando em questão de segundos houve um estralo bláaaaaa; um raio muito forte caiu, eu me assustey com tamanha força. Eu corri para o quarto e abri a porta, havia muita fumaça; no desespero puchei a tomada da parede, mais era tarde demais. Perdi todo o equipamento. Depois eu fui lá fora ver a antena, o cabo coaxial, estava estourado em 5 cinco partes diferentes. tirey a antena em cima da casa, abri a bobina, não tinha nenhum fio dentro dela que era o positivo e negativo, simplesmente desapareceu, foi lamentável. Parabéns pela sua dedicação, Deus ti abençõe muito, até mais, thau.

Silva Bezerra disse...

é amigo, lamentaveul mais são coisas que acontecem com quem opera radio, aqui no meu qth tenho uma antena 5/8 de ondas com 15 mts de altura mais é protegida por um para raio de uma torre de celular com 100 metros de altura que fica ao lado da mesma só 10 metros de distancia.

Anônimo disse...

André. Com a utilização do microfone de ganho que você sugeriu, fica uma transmissão decente? Daria pra comparar a qualidade de áudio do modelo antigo?

André Luiz disse...

eu gosto muito desse microfone, e honestamente, resolve o problema de áudio desse, e de um monte de rádio.

Anônimo disse...

Apenas um comentário sobre esse rádio... Já tinha ouvido falar no RX fanhoso e observações sobre o áudio. Tive um fabricado na segunda metade da década de 80 e ele era perfeito. Era esticados sim, mas não havia passado por maiores modificações. Áudio TX e RX perfeitos...

Alexandre Alves disse...

Amigo no site da steelbras não tem o rádio para venda vc sabe o motivo gostaria de comprar um mais HOMOLOGADO, será que vai sair um novo modelo 80 canais .
Desde já obrigado.

Alexandre Alves disse...

Amigo tentei comprar no site steelbras não tem para compra vc sabe porque gostaria de comprar mais quero HOMOLOGADO tem noticias obrigado.

André Luiz disse...

A Steelbras só vende pra loja.
Compra nesse link: http://www.shopantenas.com.br

Rodrigo Silva de Castro disse...

Boa noite André tenho um cobra 148gtl gosto muito dele, tenho uma campanha que quando solto o ptt da 4 toques bem antiga, mas quando estou soltando o ptt ela trava no primeiro toque ou as vezes nem aciona o que pode ser, ai não solta o maik. pode me ajudar whats app 067 9912 7103 se tiver como mandar o radio ai, ou se conhecer alguem de campo grande. agradeço.

Cassandra Daemon disse...

O Cobra 148 GTL fabricado na China não funciona em SSB, o áudio, na transmissão, sai todo distorcido, só falando baixo ou distante do microfone para a pessoa do outro lado nos entender, André Luiz! Nos blogs dos EUA são muitos os compradores decepcionados com esse rádio por esse motivo e a Cobra não parece interessada em resolver este problema!

André Luiz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
André Luiz disse...

Cassandra, não vejo problema algum no Cobra 148 GTL feito na China. O meu Cobra 148 GTL e o Cobra 148 GTL dos meus clientes funciona magnificamente bem.

Na verdade, para que um rádio, seja ele qual for, funcione na íntegra, ajustes em instrumentos de precisão se fazem necessários, coisa que poucos tem acesso, independente do País que se origine o comentário.
Nada a reclamar do Cobra 148 GTL.

Cassandra Daemon disse...

Oi André!Grata pela sua resposta! Talvez depois de ajustados eles funcionem bem (e sabe-se lá por quanto tempo...), mas permanece o fato de que esses 148GTL fabricados na China estão (ou estavam, até algum tempo atrás)com esse problema na transmissão em SSB. Nesse conhecido vídeo publicado no YouTube:
https://www.youtube.com/watch?v=z3cb5dQDeCo
as criticas são bem contundentes aos 148GTL atuais, embora, num segundo segundo vídeo, ele apresente o rádio reparado e na descrição deste primeiro vídeo comente esse reparo dizendo que foi necessária a instalação de vários capacitores cerâmicos em vários pontos do chassi e no integrado de áudio para sanar o problema. Um dos comentaristas afirma que resolveu o mesmo problema em seu rádio fazendo um ajuste na frequência: "I never really believed it to be a power supply issue, so i asked a friend to go on another radio on a set frequency and i opened my radio and started to transmit, then we found out my radio was just off frequency, so i tuned it in with a plastic screw driver. Very simple fix."
Admitindo que os dois comentaristas estão certos, o desajuste em questão parece ter várias causas, todas convergindo numa construção desleixada do fabricante chines. E, convenhamos, um rádio que sai da embalagem precisando de manutenção para funcionar não é um bom produto e, embora isso seja interessante para os técnicos da área, vai terminar fazendo muita gente se decepcionar com o radioamadorismo! O meu vou levar para calibrar no estande nesse fim de semana. A Puma 38 vai dar um jeito nesse aborrecimento rsrs!

André Luiz disse...

Não concordo, casos isolados não servem como base para uma conclusão universal, ao passo que quaisquer peças adicionadas, sejam capacitores, resistores ou o que for, estão completamente fora do projeto original do Cobra 148 GTL - é deste rádio que me refiro, e me referi apenas a ajustes de onda, e não de corrente, e também não vejo os técnicos estadunidenses como autoridade nessa questão. O que manda é experiência e instrumentação, o resto é balela.
Quanto a ajustes pós fábrica, isso serve para qualquer rádio, qualquer marca, e se aplica inclusive em automóveis (não vou tratar disso). Cada pessoa exige do equipamento segundo sua subjetividade.

Cassandra Daemon disse...

Caro André, uma rápida pesquisa nos fóruns em inglês vai te mostrar que não se trata de "casos isolados", pois o número de reclamações, sempre relatando o mesmo problema, é bem grande. Em português também tem algumas pessoas reclamando do mesmo problema, um usuário brasileiro relatando que resolveu este problema no ssb colocando um capacitor de 100uF/16v na saída do ci regulador de tensão e por aí vai... Veja que não se trata de um ajuste fino para otimizar algo que já funciona, mas de uma intervenção para tornar operacional algo que já deveria ter vindo funcionando! Uma coisa é você comprar um carro que anda e melhorar o desempenho do mesmo, outra, bem diferente, seria você comprar um carro que, para você poder usar, teria primeiro de passar por uma oficina mecânica... é o caso da transmissão em ssb no Cobra 148GTL chinês... o resto dele funciona muito bem. Como esses rádios são muito baratos, comprei um 148GTL antigo, entrada do ptt na lateral e nele tudo funciona em ssb, transmissão limpa e tal!

André Luiz disse...

Parece que você não me entendeu. Qualquer pessoa séria, que conhece o método acadêmico, não aceita pesquisa de internet como base científica, e um caso isolado aqui e ali não representa uma verdade universal, e para isso, para verificar que se trata sim de casos isolados, basta verificar quandos milhões de rádios foram fabricados e a quantidade de reclamações realmente sérias (e não subjetivas) existem fora da informalidade, ou seja, fora da internet. Quanto a isso, fim de papo.
Quer me convencer?
Não será com argumentos frágeis.

O Cobra 148 GTL é um rádio limitado, baixo custo, e oferece muito em relação ao preço real.


Como disse, não vou discutir sobre carros.

Cassandra Daemon disse...

André, nunca tive o objetivo de convence-lo do que quer que seja, nem de transformar uma simples conversa que, entendo, deveria ser técnica, em uma pendenga envolvendo a conceitualística da pesquisa científica ou a análise teleológica dos conceitos de objetivo e subjetivo ou ainda se o que está na internet tem valor ou não!!!

Além de você, também comentei o ocorrido com dois técnicos dos EUA. As respostas deles foram bem diferentes das suas, foram totalmente técnicas. Eles conhecem bem esse problema com a transmissão em SSB nos 148GTL chineses.

Só te perguntei porque queria ver como os técnicos brasileiros estavam lidando com esse problema.

Confesso que fiquei muito surpresa e mesmo desapontada com suas respostas que, ao invés de focarem a questão técnica, se desviaram para a dúvida sobre a própria existência do problema!!! Ora, pessoas satisfeitas com seus rádios não reclamam! Agora, se uma centena delas reclama do mesmo problema no mesmo equipamento, tem alguma coisa de errado com ele!

Se fossem reclamações sobre diferentes problemas a história seria outra, mas é sempre a mesma queixa: áudio ininteligível na tx em ssb (seja upper ou lower).

Pô!!! Bastava você ter dito que não sabia nada sobre isso!!! Não precisava ser grosseiro!

Para terminar, sobre metodologia científica, uma dica de quem tem dois doutorados, procure ler os trabalhos de Popper e Kuhn, a coisa não é tão simples quanto você pensa!

Bjs!

André Luiz disse...

Cassandra, você está lendo muito resuminho na internet; sugiro que procure uma formação stricto sensu, porque sua argumentação está abaixo da linha lato.
Uma discussão realmente responsável infere que no mínimo duas partes tenham o mesmo peso, ou seja, mesmo conhecimento/e/ou conhecimento equivalente para que seja justa e some, mas a questão aqui é "ego-cêntrica", e não troca de saberes. A bem da verdade, o Brasil não tem isso.

Vamos lá, pois argumentar com imbecis é realmente um problema.

(...)André, nunca tive o objetivo de convence-lo do que quer que seja, nem de transformar uma simples conversa que, entendo, deveria ser técnica, em uma pendenga envolvendo a conceitualística da pesquisa científica ou a análise teleológica dos conceitos de objetivo e subjetivo ou ainda se o que está na internet tem valor ou não!!!
R: Se a questão não fosse me convencer, não estaria enchendo meu saco, e a questão teleológica que se refere está realmente longe do que teria condições de raciocinar. É uma questão à priori a sua existência, você não tem condições para tal.

Além de você, também comentei o ocorrido com dois técnicos dos EUA. As respostas deles foram bem diferentes das suas, foram totalmente técnicas. Eles conhecem bem esse problema com a transmissão em SSB nos 148GTL chineses.
R: Já falei e repito, não interessa o que dois técnicos disseram, sejam eles de onde for. Nenhum técnico representa verdade absoluta, nem eu.

Só te perguntei porque queria ver como os técnicos brasileiros estavam lidando com esse problema.
R: Pergunte a todos. Eu não represento a classe, assim como os "dois técnicos" que mencionou não representam a classe.

Confesso que fiquei muito surpresa e mesmo desapontada com suas respostas que, ao invés de focarem a questão técnica, se desviaram para a dúvida sobre a própria existência do problema!!! Ora, pessoas satisfeitas com seus rádios não reclamam! Agora, se uma centena delas reclama do mesmo problema no mesmo equipamento, tem alguma coisa de errado com ele!
R: Não discuto assuntos técnicos com incautos, é perda de tempo, ao passo que centenas de pessoas agrupadas falando a mesma abobrinha representa uma ditadura de maioria, e não uma verdade absoluta, portanto, FALÁCIA!

Se fossem reclamações sobre diferentes problemas a história seria outra, mas é sempre a mesma queixa: áudio ininteligível na tx em ssb (seja upper ou lower).
R: Aqui caberia sim uma pesquisa sociológica a respeito de "quem reclama", pois aqui no BR também existem aqueles que sequer conhecem sua língua e se fazem de técnicos. Todos os dias recebo rádios para conserto vindo desses "técnicos".

Pô!!! Bastava você ter dito que não sabia nada sobre isso!!! Não precisava ser grosseiro!
R: Eu realmente não sei nada, estou aprendendo, e acredito que você deveria procurar outro técnico que concorde com tudo o que diz, que caia em suas falácias, que de repente te presenteie com um Cobra ajustadinho ou mesmo te leve para jantar, olha que lindo!

Para terminar, sobre metodologia científica, uma dica de quem tem dois doutorados, procure ler os trabalhos de Popper e Kuhn, a coisa não é tão simples quanto você pensa!
R: Dois doutorados e está reclamando o defeito em um Cobrinha 148 GTL? kkkkk puta que pariu² kkkkk que vergonha alheia.

Bjs!
R: Dispenso.

GAME OVER

carlos disse...

radio cobra 148 gtl qual verdadeiramente é o melhror ? taiwan , philippines ou malasia .

Sem instrumentos, não adianta!

Sem instrumentos, não adianta!
clique na imagem

Postagem em destaque

Consertando e ajustando pastilhas de wattímetro Bird

"Para aqueles que acham que este instrumento é incorruptível", é bom saber que os wattímetros Bird usam elementos removíveis, cha...

→ TVi ↓

TVi é um dos problemas mais sérios que o radio-operador pode sofrer. Pensando nisso, aqui vai algumas dicas seguras sobre como evitar este problema.

1º Cabo: Tem gente que acha que é só soldar o fio no conector e está tudo certo. Ledo engano!

Antes de soldar o conector, certifique-se que a malha esteja totalmente prateada, brilhando. Caso não esteja, substitua o cabo, ele está oxidado. "É a ação do tempo".

2º Conector: Verifique a qualidade do conector no ato da compra, e caso seu conector esteja a anos sendo utilizado (ou guardado), passe uma lixa fina por dentro no local onde encaixa a malha. Não deve haver nenhum tipo de sujeira ou sinal de oxidação.

3º Conector fêmea do rádio: Utilize uma chave de estria tamanho 19 e aperte a porca. Mal contato é um problema sério. Verifique a solda interna após o reaperto.

4º Não utilize antena tipo 5/8 caseira entre prédios e condomínios que estejam em locais mais altos que sua estação à distâncias menores de 10 metros. Lembre-se que a antena 5/8 irradia em ângulo reto, e a antena de tv do vizinho pode ser aquele famoso "bombrill".

Escolha sempre antena 5/8 industrial. Se for caseira utilize 1/4 de onda, pois seu lóbulo de irradiação aponta a ionosfera, ao invés do horizonte, como no caso da 5/8.

5º Não abra o ALC do equipamento. O ALC libera espúrios. Ao abrir potência do equipamento mantenha a proteção ALC. Da mesma forma que fazemos em nosso laboratório. Isso é imprescindível. Abrir ou aumentar potência não tem nada a ver com liberar ALC. Isso é para incompetentes e palitadores. Se abrir a potência do equipamento lembre-se de deixar o ALC atuando.

6º Estacionária: Nunca se esqueça que estacionária baixa não tem nada a ver com ressonância. A antena pode estar com roe ótima em determinado local, mas ressonar lá na casa do...

7º Identificar o "plano terra": Plano terra não tem nada a ver com antena plano terra. Você deve saber onde é o plano terra de sua estação, e o mesmo não tem nada a ver com o solo. Descobrindo o plano terra, a partir dele você saberá qual é a altura ideal para sua antena. Respeitando esta regra, além do rendimento otimizado de sua Estação, jamais correrá riscos de TVi. Dúvidas?

Consulte-nos.

→ Power RF Aprenda ↓

Como saber a potência correta sem ser enganado?

Primeiro, pesquise sobre o DATASHEET do transistor do seu rádio, leia a respeito, verifique a potência máxima levando em consideração a voltagem do transistor. A base de cálculo é a fonte de alimentação, então o parâmetro é 13,8 volts.

Se apresenta 8A de consumo em amperímetro digital "com congelamento de pico máximo", basta multiplicar 13,8v por 8A e o resultado dividir por 2.66, eis a potência correta, que são 41,5 watts de envelope - PEP. Em miúdos, no assovio tem que dar 41,5 watts, e na modulação 60% por conta do péssimo modulador original, então restam quase 25 watts de modulação real. Viu porque não adianta palitar? Girar ou abrir posição de trimpot apenas gera mais calor, e calor é igual a perda. Quanto mais se aquece o transistor, mais fecha a entrada de gate quando aquecido, e por isso você precisa alterar alguns componentes na saída, porque eles impedem o rendimento da potência final (isso só serve para rádios PX).

Um rádio na atualidade - 2015 - original apresenta 20w PEP SSB em média, então você tem 13,8v X 4A de consumo, que é = 55.2w Dividido por 2.66 = 20,75w efetivos. Ou seja, fonte de 5A para esse rádio original toca com folga.

Rádios com upgrade apresentam consumo entre 12A e 16A "em média" para mais, então você tem 13,8v X 12A = 165,6W em calor (em perda) divididos por 2,66 = +- 60w que representa o % aproveitável, e em média máxima "para 13,8v". Com voltagens DC to DC na alimentação, essa potência pode ultrapassar os 100 watts aproveitáveis, mas não há área de dissipação, então não recomendo. A bem da verdade, eu literalmente pago para ver alguém conseguir reproduzir o sistema que patenteamos, DC to DC.

Se utilizar bateria de 12v, o consumo em amperagem é maior. Quanto maior a voltagem, menor consumo em amperagem, quanto menor voltagem, maior consumo em amperagem.

By: Lei de Ohm.

Medições fora deste parâmetro são equivocadas.

Fale comigo

→ Dica de Segurança

A vantagem do Rádio na estrada, além da possibilidade de fazer grandes amigos, é saber o que está acontecendo lá na frente. Um possível deslizamento, bloqueio de pista, uma possível blitz falsa, assaltos, áreas perigosas, carros suspeitos e acidentes. Na verdade, o operador da Faixa do Cidadão precisa de muita malícia, porque em todo lugar haverá maldade e oportunismo. Já houve caso de amigo que quase foi morto em emboscada armada através de convites feitos na própria faixa. Pessoas que se passaram por radio-operadsores o chamaram para tomar um café e o mesmo foi, sem maldade nenhuma, mas estavam na verdade de olho em sua carga de remédios, relata João, Estação Cachorro Louco (Juiz de Fora MG). Portanto amigos, é possível sim fazer do rádio um ambiente saudável e seguro, basta denunciar quaisquer irregularidades e ficar atentos a desvios de conduta. Aproveite e faça sua parte, seja cordeal, e não se misture com radio-operadores que desrespeitam a faixa utilizado linguajar de baixo calão. Em caso de problemas, procure um posto da Polícia Rodoviária Estadual/Federal.

Oferecimento:

PXJF YOUTUBEadio.com.br

→ WATTÍMETRO BIRD - SAIBA TUDO


AUTO/ INFRAÇÃO /MULTA /IMPEDIMENTO/ LICENCIAMENTO EM MINAS GERAIS